Retrospectiva: Alex Canziani aposta no PAC da Educação

PTB Notícias 27/01/2008, 13:08


A educação é o maior investimento que um país deve fazer.

Esta é a visão do presidente da Subcomissão Especial de Educação Profissional e Tecnológica da Câmara Federal, deputado Alex Canziani (PTB/PR), que enaltece a iniciativa do Governo de executar o Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), lançado no último dia 24 pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pelo ministro da Educação, Fernando Haddad.

O parlamentar paranaense foi, até o ano passado, presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Educação Profissional do Congresso Nacional, grupo que deve integrar também a partir desta Legislatura.

Como tal, apoiou várias iniciativas de investimentos, sobretudo aqueles previstos no Programa de Expansão da Educação Profissional (Proep).

Ele também participou da transformação do Centro Federal de Educação Profissional e Tecnológica do Paraná (Cefet) na primeira Universidade Tecnológica Federal do país, a UTF-PR.

No Paraná, ele foi o principal articulador para a instalação dos campi da UTF em Apucarana e Londrina, e da viabilização de recursos para o campus de Cornélio Procópio.

Já através do Proep, conseguiu recursos para a implantação de escolas profissionalizantes em Arapongas, duas em Londrina e Almirante Tamandaré, e para investimentos na unidade de Cornélio Procópio.

As escolas de Apucarana e, agora, a de Paranaguá, onde também existiam unidades do gênero, foram promovidas como unidades da rede da Universidade Tecnológica.

Para Canziani, não há país que não tenha se desenvolvido sem antes investir na educação do seu povo.

“Toda nação desenvolvida tem um ensino de qualidade.

Acho que o Brasil precisa pensar grande e investir bastante na área”, afirma.

Com base em recentes pesquisas, o petebista lamenta que uma criança que sai hoje do ensino fundamental sabe menos do que aquela que saiu há dez anos do mesmo grau de ensino.

O deputado concorda com a política de ampliação de vagas nas escolas, mas também acha que precisa haver uma preocupação maior com a qualidade do ensino.

Agência Trabalhista de Notícias