Revitalização de parque em Santo André garante mais qualidade de vida

PTB Notícias 23/03/2009, 10:59


O Parque Central de Santo André – cidade administrada pelo petebista Aidan Ravin (SP) – está passando por uma revitalização completa para proporcionar mais lazer e qualidade de vida aos munícipes.

O departamento de Parques e Áreas Verdes (DPAV), da Secretaria de Obras e Serviços Públicos, já fez limpeza dos lagos e a roçagem da área de 346,6 mil metros quadrados, localizada na Vila Assunção.

“Por onde a gente olha tem flores.

O parque está muito bonito e bem conservado”, afirmou Eunice Daniel Rosa, de 71 anos.

Ela e as amigas Eufísia Alexandre (71) e Maria de Andrade (68) freqüentam o local de três a quatro vezes por semana.

“Hoje está muito bonito, bem cuidado e a gente vem passar umas horas gostosas e jogar conversa fora”, completa Eufísia.

A pista de caminhada principal tem 2.

700 metros, com drenagem e contenção de troncos de madeira resultantes da poda de árvores na cidade.

Há aproximadamente mais 3.

000 m de vias secundárias, que receberam o mesmo tratamento.

O parque conta ainda com uma ciclovia com 2.

500 metros em asfalto colorido, específico para o uso, 32 praças de convivência com bancos e mesas e play ground com 60 novos brinquedos.

Crianças com idade superior a 12 anos podem se divertir na parede de escalada ou na teia de aranha.

“Sempre que posso trago as meninas para brincar aqui”, afirmou Maria de Lourdes de Souza, mãe das pequenas Maria Alice, de 6 anos, e Clara, de 3.

“Não há brinquedo quebrado ou inseguro e tudo está muito bem cuidado”, completou.

Vegetação – o espaço tem mais de 10,5 mil árvores diversas, sendo a grande maioria nativas (ipês, pau-ferro, pombeiro, jatobá, eritrinas, bahuinias, aroeiras, aldrago, canelinha, quaresmeiras entre outras) e 3.

500 frutíferas, como araças, pitangas, cereja do rio grande, calabura, grumixama, jabuticaba e ingás entre outras.

E, ainda, 700 palmeiras nativas e exóticas (palmito, jerivas, guarirobas, aiphanes, sabal, imperial, dypsis, washintonia, entre outras) com mais de 30 espécies e 45.

000 arbustos e plantas ornamentais.

O Parque Central também já recebeu 170 transplantes diversos, sendo a maioria de arvores ( ipês, jacarandás, sibipirunas, pau ferro, tipuanas) retiradas de calçadas em remoções aprovados pelos técnicos do DPAV, por estarem em frente de garagens e causando danos ou risco às propriedades e pessoas.

Atualmente a formação de novos canteiros é feita com mudas de herbáceas do próprio parque e diversas árvores continuam sendo plantadas e transplantadas.

Agência Trabalhista de Notícias (com informações da PSA)