Ricardo Izar defende afastamento de Renan da presidência do Senado

PTB Notícias 12/07/2007, 12:06


O deputado Ricardo Izar, do PTB de São Paulo, afirmou que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), deveria se afastar do cargo para se defender das denúncias de maneira isenta.

“O ideal é ele se afastar e fazer a defesa da tribuna do plenário e no Conselho de Ética”, ponderou Ricardo Izar, que é o presidente do Conselho de Ética da Câmara, durante o programa Em Questão, da TV Gazeta.

“Todos os representados na Câmara dos Deputados estiveram no Conselho de Ética, coisa que ele não fez até agora”, sustentou Izar.

O presidente da Comissão de Ética da Câmara preferiu fazer uma distinção clara entre os casos envolvendo os senadores Joaquim Roriz (PMDB-DF) e Calheiros.

Izar foi taxativo ao afirmar que Roriz não tinha tradição no Congresso e seria “infeliz” na própria defesa.

“Ele errou: as provas eram concretas, ele seria cassado”, concluiu Izar, que presidiu a comissão que analisou os processos de cassação dos deputados envolvidos com o mensalão.

“Ele saiu porque quer ser candidato a governador de novo.

” Para ele, Roriz seria cassado e Renan, absolvido.

Porém, ressalvou que o fato de Renan Calheiros não ter se afastado até este momento só complica a situação dele.

“Agora ficou muito mais difícil para o Renan.

” DiferençasAo analisar a atuação do Conselho de Ética do Senado comparado com o Conselho da Câmara, Izar foi bastante crítico: “Logo no começo da legislatura nós escolhemos os membros do Conselho e houve uma eleição sem influência política.

O senado não fez isso”, lembrou o deputado petebista.

Além disso, o deputado paulista criticou o que considera falta de isenção na escolha do relator do processo: “Como que o relator pode ser do mesmo partido da pessoa representada”, indagou.

“Na Câmara não pode, o nosso regulamento não permite.

” Izar promete, agora, lutar pelo fim do voto secreto no caso de análises de cassações.