Roberto Jefferson afirma que setores do PMDB querem desrespeitar acordo

PTB Notícias 30/01/2009, 17:10


Leia abaixo comentário do Presidente Nacional do PTB, Roberto Jefferson, publicado em seu blog na internet nesta sexta-feira (30/1):Batata quente na mão do PMDBDesrespeitando o acordo firmado com o deputado Michel Temer e o PMDB (além dos demais partidos que apóiam o candidato) para que o PTB ocupe a 4ª Secretaria da Mesa da Câmara (o indicado do partido é o deputado Nelson Marquezelli), a deputada peemedebista Elcione Barbalho lançou sua candidatura para a referida Secretaria, e espalhou cartazes por toda a Câmara anunciando sua pretensão.

Em represália à atitude da deputada, o petebista Manoel Ferreira também resolveu lançar sua candidatura para a 3ª Secretaria, o que leva a decisão para o voto em Plenário.

Ferreira só retirará sua candidatura se Elcione fizer o mesmo.

Com a palavra, o PMDB.

Surpresa tucanaCausa estranheza em Brasília a decisão do alto comando do PSDB de apoiar a candidatura de Tião Viana para presidente do Senado.

Primeiro porque a justificativa anunciada pelo líder Arthur Virgílio – de que a escolha foi feita por entenderem que o candidato iria “aprofundar a agenda de reformulação e independência do Legislativo” – é falsa e incoerente, pois Tião é um petista de quatro costados, e quem acredita que irá agir sem o tacão do governo? Segundo, a gula do PSDB não é por moralidade ou defesa da soberania, é simplesmente por cargos.

De cima para baixoApesar de ter reunido a bancada na quarta-feira em Brasília, e da maioria dos senadores ter se declarado a favor do candidato José Sarney, um grupo seleto de plumagem mais nobre resolveu se encontrar em Recife – apoiado pelo dissidente peemedebista Jarbas Vasconcelos – para sacramentar a decisão do partido.

De novo a tucanada toma suas decisões de baixo pra cima, deixando de levar em consideração a opinião do baixo clero do partido (se é que há baixo clero no PSDB).

Aécio que se cuide: se tem algo que é difícil na sua agremiação é uma decisão ser democrática e com consulta aos membros da legenda.