Roberto Jefferson avaliza aliança do PTB com André Puccinelli no MS

PTB Notícias 11/06/2010, 9:51


O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, revelou nesta quinta-feira (10/6), durante visita a Campo Grande, ter dado aval à aliança entre o partido em Mato Grosso do Sul e o governador André Puccinelli (PMDB).

Jefferson esteve na capital do Estado acompanhando a agenda do candidato a presidente do PSDB, José Serra, com quem o PTB fechou aliança para as eleições deste ano.

O dirigente do PTB havia, anteriormente, descartado acordo eleitoral com o governador e chegou a fazer críticas.

“Não fiz críticas à figura dele, mas aos gostos dele, esses gostos mais exóticos que ele demonstrou de público, então eu fiz uma brincadeira com ele nesse sentido.

Mas as coisas evoluíram, agora estaremos juntos, ele, eu e o José Serra”, disse em Campo Grande.

Jefferson manifestava, inclusive, preferência pelo PT em razão da amizade com o senador petista Delcídio Amaral.

“É meu amigo, sou grato a ele, tenho uma dívida de gratidão.

Mas eu disse para ele: o PT é um peixe que estou disposto a engolir com espinha e tudo por sua causa.

Deixei tudo aberto, e ele não veio”, justificou.

Em Mato Grosso do Sul, apesar de a cúpula da legenda ter aprovado a aliança com André Puccinelli em reunião da Executiva, há um grupo que contesta.

Os dissidentes preferiam a aliança com os petistas.

Uma das argumentações é de que a proposta de Zeca do PT foi mais vantajosa que a de André Puccinelli para o partido.

Zeca ofereceu ajuda para eleger deputados, espaço em um eventual governo e, inclusive, a vaga de vice.

Já André Puccinelli prometeu ajuda na eleição de deputados estaduais e tratamento de aliado nas eleições de 2012 quando serão eleitos prefeitos e vereadores.

“Ele ofereceu o vice não para dentro da estrutura do PTB, mas para a estrutura que ele ele trouxe para dentro do PTB.

E não queria um vice do nosso partido, mas um vice que ele colocou aqui dentro.

Vamos deixar isso claro, ele não respeita a autonomia do partido, quer que o PTB fique absolutamente subjugado à vontade dele”, disse Jefferson.

Portas abertasJefferson ainda abriu as portas para os filiados do PTB que quiserem acompanhar Zeca do PT deixarem o partido.

Ele assegura que não haverá punições aos rebeldes.

“Punição não, absolutamente.

No PTB não há dois peses e duas medidas”.

“Como não são candidatos esses que querem se aliar com o Zeca, eles não estão presos àquela norma de não poderem trocar de partido.

Se eles quiserem caminhar para o PT, não terão do partido nenhuma retaliação.

Eles podem ir para o PT, as portas estão abertas para que eles saiam”, completou.

Roberto Jefferson explica que a aliança com o PMDB está sendo feita para melhorar a bancada da sigla.

“Temos que fazer a aliança que seja melhor para a construção da bancada”, explica Jefferson.

Na passagem pela capital do Mato Grosso do Sul, Jefferson também pediu aos filiados do partido que parassem de polemizar, principalmente na imprensa, as divergências internas do partido.

“Peço que a gente brigue pra dentro, porque discutir e brigar pra fora acaba com o partido.

Vamos lavar roupa suja aqui, não dá para boquejar lá fora”, orientou.

O PTB ainda precisa homologar a decisão de se aliar ao PMDB, tomada em reunião da Executiva, na convenção.

Mas o próprio Roberto Jefferson está seguro de que a decisão será aprovada sem dificuldades.

O grupo pró-Zeca do PT ameaçou acionar a justiça contra a decisão da Executiva, mas até aqui nenhum atitude foi tomada.

Na reunião da Executiva, em 9 de abril, a proposta de Ande Puccinelli saiu vencedora por nove votos a um.

fonte: jornal Folha do Povo (MS)