Roberto Jefferson comenta audiência com Lina Vieira e problemas de Dilma

PTB Notícias 19/08/2009, 13:50


Leia abaixo comentários do Presidente Nacional do PTB, Roberto Jefferson, publicados em seu blog na internet ( (http://www.

blogdojefferson.

com/) www.

blogdojefferson.

com) nesta quarta-feira (19/8):Subiu no telhado A ex-secretária Lina Vieira não apresentou provas de que esteve com Dilma Roussef no Planalto.

O problema é que a ministra errou lá atrás quando disse que Lina mentiu, em vez de, como Lula, dizer que não lembrava da reunião, ou melhor, não sabia.

Dilma errou aí, pecou pela arrogância.

Há muitos fatos a serem apurados (o motorista, os vídeos, um funcionário do fisco chamado por Lina para detalhar o andamento do processo sobre a família Sarney.

.

.

).

Se é mentira, a verdade vai aparecer.

Neste episódio, a candidatura de Dilma subiu no telhado.

Ônus da provaO depoimento da ex-leoa Lina Vieira na CCJ do Senado não apresentou nenhuma prova ou dado importante para esclarecer de vez o encontro que teria tido com a ministra Dilma.

Nem sequer trouxe a data exata do encontro.

Mas a trama agora aparece enfeitada com mais detalhes, como o nome do motorista que a levou ao Planalto.

O conto ganhou pontos, está mais enfeitado, mas ainda não passa de mera “história da carochinha”.

Depois de cinco horas de depoimento fica mais claro que Lina não tem como provar sua história.

Não por outra razão oposição e jornais se viram para a ministra entregando a ela o ônus não cumprido por Lina.

Cobrar de Dilma o que deveria ter sido feito por Lina é o modo de manter a história no ar.

Eterna enquanto dureDilma Rousseff e Lula têm muito que pensar.

Afinal, mentiras podem ser desmentidas, já as suspeitas são eternas.

É com isso que a oposição conta.

Rabo de fogueteSe for ficar comprovado de alguma maneira que a reunião entre a ex-secretária da Receita Lina Vieira e Dilma Roussef realmente aconteceu, não caberá mais questionar o conteúdo da conversa.

Foi assim com Zé Dirceu no episódio que culminou com seu afastamento da mesma Casa Civil ocupada hoje por Dilma (apesar de o ministro negar, quando divulgada, a agenda mostrou suas peripécias no Planalto).

Os fatos se repetem.

Zé negou a existência das reuniões, e não seu conteúdo.

Desmentido, caiu fora.

Mentiras sempre deixam rabos que acabam aparecendo.

Ex-leoa é gata chiqueBonita, discreta, altiva, serena.

Além disso, Lina mostrou que é uma mulher que tem fé e força interior.

O escapulário que ostenta ao lado da coroa de Nossa Senhora lhe caiu muito bem.

Sorriso franco, de quem está de bem com a vida.

Guerra de “gangues”A troca de acusações entre governistas e oposicionistas na sessão de ontem da CCJ é reveladora do quanto a antecipação do calendário eleitoral já contaminou as relações no Senado.

Os membros das novas “gangues” e tropas de choque que duelam diariamente nas comissões e Plenário – de um lado as Forças Armadas da Dilma (FARD) e do outro o Grupo de Assalto do Serra – (GAS) – são incapazes de perceber o tanto que estão contribuindo para a desmoralização e rebaixamento da atividade legislativa.

Parece coisa de Fla-Flu, de boi Garantido e Caprichoso.

Com todo respeito que os bois merecem, claro.

O fato político do momento é o ódio regional das “gangues” paulistas que vão se enfrentar.

A mim pareceram iradas as reações de Mercadante e de José Serra – lembraram o ódio de Iago contra o mouro de Veneza na ópera Otello (pelo qual Desdêmona pagou com a vida), imortalizada pela partitura de Verdi com base na obra de Shakespeare.

Um péssimo compositorNa briga que continua resumida à palavra de Lina contra a palavra de Dilma, o assunto que continua crescendo é o dos currículos.

Já sabemos que a ministra Dilma não tem tanta coisa no currículo quanto faziam crer as informações postadas no site oficial.

Uma mentira basta para fazer de alguém mentiroso, não por outra razão o currículo falso apareceu no depoimento da ex-leoa ontem.

O senador Aloizio Mercadante então animou a briga sobre a formação acadêmica dos políticos e acusou o governador de São Paulo, José Serra, de ter também currículo falso.

Serra respondeu na mesma moeda, pois aparentemente Mercadante não tem o título de doutor que diz ter.

E todo o samba que Mercadante compôs ontem só serviu para lembrar que Dilma e ele, um dia, já faltaram com a verdade.

Enquanto uns brigam, ele não perde o foco.

.

.

Enquanto o Congresso se perde na interminável novela Sarney e nas batalhas entre governo e oposição, Lula não perde o foco e mostra que a marca de sua administração tem o viés de cuidar do povo, estar atento aos problemas dos mais pobres.

É isso que falta hoje à oposição: percorrer as cidades, conversar com prefeitos, vereadores, líderes comunitários.

Os parlamentares de oposição precisam saber como pensa o Brasil real, não este que é mostrado pelos jornais e TVs, mas o que está longe da Esplanada dos Ministérios, do Leblon, da Avenida Paulista.

.

.

É preciso ir atrás do brasileiro que hoje só vê salvação em Lula.

Existem muitas outras demandas da população que este governo não atende, como em relação à saúde pública, a segurança nos bairros mais carentes, o drama dos aposentados etc.

Ao concentrar sua atuação apenas nas brigas políticas no Congresso, os partidos de oposição parecem – justiça seja feita – se esforçar para perder a eleição de 2010.

O problema é que a oposição só quer fazer contestação de gabinete – preguiçosa, balofa.

Continue firme, Arnaldo!O deputado Arnaldo Faria de Sá participou de reunião nesta terça entre os representantes dos aposentados e o presidente da Câmara, Michel Temer, para pressionar a Casa a votar as propostas que beneficiam os pensionistas.

Apesar da promessa de Temer de levar o assunto aos líderes governistas, Arnaldo acha que o governo está querendo enrolar os aposentados, e não irá apresentar uma proposta razoável para cobrir as perdas, além de estabelecer um índice de correção previdenciária que impeça o progressivo achatamento dos benefícios.

Arnaldo, não deixe a peteca cair, força, vamos manter os aposentados mobilizados em torno desta luta, que é também do PTB!Os torpedos de MercadanteFato é que, apesar de algumas ameaças, o PMDB cumpriu exemplarmente o seu papel de base governista ontem no depoimento de Lina Vieira e conseguiu sair da sessão com um sorriso no rosto, já que a ex-secretária, ameaçada por um processo de prevaricação, negou que tivesse sofrido alguma pressão por parte de Dilma.

A bola agora volta para o Conselho de Ética, onde o PT está cada vez mais disposto a arquivar de vez todas as representações protocoladas durante a crise do Senado.

O jogo jogado com perfeição deixou isolado o senador Aloizio Mercadante, que defende abertamente o desarquivamento de um dos processos contra Sarney.

Os demais senadores petistas deixaram o barco de Mercadante ressentidos porque o líder se recusa a indicar os titulares para as vagas do PT no Conselho.

No calor do momento, Mercadante ameaçou renunciar ao posto de líder.

Por baixo d”água, lançou torpedos para dizer aos seus “liderados” que ele fica.

Mercadante lançou os torpedos, mas é seu barco que afunda.

Noves fora zeroMercadante disse o que quis, mas teve que ouvir o que não queria.

Está prestes a engolir as palavras e, quiçá, o orgulho.

Noves fora zero, Mercadante não é nenhum Suplicy, que flutua sobre a crise do Senado falando o que bem entende, mesmo que não faça sentido.

O sonho de Mercadante ainda é ser um Suplicy.

Basta ser inimputável.