Roberto Jefferson comenta briga no STF, aniversário de Brasília e juros

PTB Notícias 21/04/2012, 21:01


Leia abaixo comentários do Presidente Nacional do PTB, Roberto Jefferson, publicados em seu blog na internet (www.

blogdojefferson.

com) neste sábado (21/04/2012):Dama da Justiça envergonhada “Essa transmissão ao vivo de guerra de vaidades é boa para quem está no UFC.

É muito ruim quando ministro do STF rasga a toga em público”.

A frase, de minha autoria, foi publicada na coluna “Painel” da “Folha de S.

Paulo”, neste sábado.

E a frase resume nossa impressão sobre a recente troca de acusações entre os ministros Cezar Peluso e Joaquim Barbosa, tão virulenta que levou o novo presidente do STF, Ayres Brito, a intervir pessoalmente, procurando os dois ministros e buscando firmar um acordo de paz.

Que ela, a paz, possa reinar no Tribunal.

Mais razão, menos emoção É preciso que os ministros do Supremo Tribunal Federal recobrem o decoro e o respeito não apenas ao cargo que exercem, mas principalmente à instituição e ao povo.

Os brasileiros não recolhem seus impostos mensalmente para que membros da mais alta corte de justiça do país se comportem como se estivessem em uma arena.

Mais serenidade e menos ativismo, nobres ministros!Não faça o que eu faço.

.

.

Há exatamente dois anos, em abril de 2010, quando tomou posse como presidente do Supremo Tribunal Federal, o ministro Cezar Peluso fez um discurso prometendo resolver os problemas internos do Judiciário, e foi aplaudido quando falou qual legado queria deixar ao final de sua gestão: “estimaria ser apenas lembrado como alguém que contribuiu, nos extremos de sua capacidade, para recuperar o prestígio e o respeito público a que fazem jus os magistrados e a magistratura do meu país”.

Ironicamente, Peluso acabará sendo lembrado justamente pela troca de acusações com colegas e magistrados como Eliana Calmon, o que decisivamente não contribui para recuperar o prestígio e o respeito da magistratura.

Dura missão para Ayres Brito Foi rápida e eficiente a intervenção do novo presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ayres Brito, para administrar a crise que surgiu após a intensa troca de acusações entre o ex-presidente Cezar Peluso e o ministro Joaquim Barbosa.

Além de negar a possibilidade de ter havido manipulação em decisões da Corte, como acusou Barbosa, e de negar que exista racismo no Tribunal, Ayres Brito esteve pessoalmente com os dois protagonistas do triste espetáculo, e costurou um pedido de desculpas de ambos.

O novo presidente mal assumiu e já teve uma espinhosa crise para administrar, e assim deve ser a sua breve passagem pelo posto.

Ayres Brito exercerá a presidência do STF até novembro, quando completará 70 anos e se aposentará compulsoriamente.

Até lá, entretanto, serão muitas emoções, com brigas, eleições e o processo do mensalão sendo iniciado.

O ministro precisará ter nervos de aço nos próximos sete meses.

Parabéns, brasilienses! Deixo aqui meus parabéns à cidade e aos cidadãos de Brasília, que neste 21 de abril completa 52 anos de fundação.

A capital, mesmo enfrentando problemas dignos de grandes metrópoles, como o excesso de carros e a insegurança crescente nas ruas, além de mais uma vez ter seu comando político à deriva, é uma cidade única, com sua qualidade de vida de primeiro mundo, seus monumentos, suas árvores e a visão limpa do céu, seu maior patrimônio.

Parabéns aos brasilienses e a todos que buscam na cidade a oportunidade de uma vida melhor.

Que a população não permita que os políticos destruam a perfeita combinação entre arquitetura e natureza em Brasília, produto do entusiasmo de Juscelino Kubitschek e da genialidade de Oscar Niemeyer.

Tancredo, jamais esquecido Hoje é dia também de reverenciar a memória de Tancredo Neves, ex-presidente falecido em 21 de abril de 1985.

Tancredo foi um grande brasileiro, um homem sereno, digno, de palavra, bem humorado e com forte sentimento nacional, herdado das melhores tradições mineiras.

Faltam hoje na nossa política homens como Tancredo, comprometido com as aspirações democráticas.

Seu exemplo como político e cidadão deve sempre ser lembrado no Brasil.

Luta de Tiradentes mais atual do que nunca O 21 de abril é dia ainda de homenagear o mártir mineiro Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, que foi enforcado em 1792 por liderar o movimento conhecido por Inconfidência Mineira, que no final do século 18 desafiou o despótico regime colonial imposto pela coroa portuguesa.

Tiradentes uniu a população e foi punido com a pena de enforcamento por tentar livrar os brasileiros da cobrança do “quinto” por Portugal, além de outros impostos que sufocavam a sociedade da época.

A luta de Tiradentes deve ser lembrada por todos que desejam a aprovação de uma profunda reforma tributária no Brasil.

Neste ano as máquinas arrecadadoras do poder público retirarão do bolso dos brasileiros um valor recorde em impostos, sem no entanto oferecer em troca serviços públicos de qualidade.

Além disso, a excessiva carga tributária é um sério entrave para o crescimento do país.

Que o espírito de Tiradentes nos ajude a acabar com os atuais dois quintos arrecadados dos cidadãos, das empresas e indústrias.

Cortar é preciso As manchetes deste sábado na área econômica deixam no ar uma certeza: apesar do desespero da banca, o Banco Central continuará reduzindo a taxa básica de juros, e na próxima reunião do Copom, em 30 de maio, a Selic deve cair para 8,5%, o nível mais baixo dos juros desde que, a partir de 1999, o BC passou a divulgar a taxa para fins de política monetária.

Outra certeza: o governo não cederá à pressão dos bancos, e vai continuar forçando Banco do Brasil e Caixa a derrubarem suas taxas internas.

E a última certeza: a conversa sobre mudanças na caderneta de poupança faz parte da ofensiva do mercado financeiro e de seus porta-vozes na grande imprensa para pressionar o Copom a não reduzir os juros.

Tudo conversa fiada de banqueiro desespero.

Mineiros em festa Meus parabéns ao time do Cruzeiro, que neste sábado se sagrou, pela primeira vez em sua história, campeão da Superliga Masculina de Vôlei.

Em jogo emocionante e muito disputado contra o Vôlei Futuro, de Araçatuba (SP), os mineiros foram eficientes e demonstrara garra e raça impressionantes, vencendo um dos campeonatos mais disputados dos últimos anos.

Aos torcedores de todo o Brasil fica a certeza de que nosso vôlei continua produzindo grandes jogadores, que manterão nossas seleções vitoriosas nas próximas gerações.