Roberto Jefferson comenta criação de blog na internet pela Petrobras

PTB Notícias 9/06/2009, 14:12


Leia abaixo comentário do Presidente Nacional do PTB, Roberto Jefferson, publicado em seu blog na internet ( (http://www.

blogdojefferson.

com/) www.

blogdojefferson.

com) nesta terça-feira (09/6):Sob o império do dinheiro A Petrobras se acha tão forte – e é, já que tem o poder real, o dinheiro – que quis humilhar a imprensa criando um blog só para “furá-la”.

Além de ferir o sentimento de liberdade, a empresa escancarou sua arrogância.

Não há quem possa com a Petrobras, muito menos o Congresso, que, se a CPI vingar, travará com ela uma briga de David contra Golias.

Não se iludam: nem mandando um submarino nuclear de última geração será possível resgatar a caixa preta da estatal.

Tá cheio de companheiro sentado em cima desta caixa.

Revolução de araqueO presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, ao defender ontem, no programa Roda Viva, a forma de atuação do blog “Fatos e Dados” – feito pela estatal para responder às matérias jornalísticas – afirmou que a empresa iria “revolucionar o jornalismo brasileiro”.

Só se for uma revolução no estilo Mao Tsé-Tung.

Gabrielli se gaba de ter criado uma espaço democrático para informar a sociedade, mas não aceita questionamentos ou críticas à sua atuação.

Um exemplo é a área de comentários do blog.

Quase 100% das mensagens dos leitores parabeniza a empresa pela criação do blog e demoniza a imprensa e os que querem “paralisar os investimentos” da Petrobras.

Um blog precisa estar aberto às críticas, Gabrielli.

Aqui, por exemplo, a bronca é livre, não há qualquer mediação ou censura prévia aos comentários dos leitores.

Revolucionar de verdade é garantir a liberdade plena de expressão no território mais democrático que existe, a Internet.

Depois não digam que eu não avisei.

.

.

Bem que nós avisamos aqui no blog.

No último dia 30/5, afirmávamos que o PSDB, ao arrancar à força a instalação da CPI da Petrobras, jogou no colo dos sindicatos e movimentos sociais a bandeira que lhes estava faltando para voltar a ocupar as ruas com protestos e manifestações.

Como se vê, não demorou muito para não só os sindicatos e movimentos sociais se mobilizarem, mas também para o PT já pegar carona em um ato “em defesa da Petrobras”.

Como já dissemos, a verdade é que a defesa da estatal do petróleo, embrulhada em uma confusa “pauta de lutas” que inclui palavras de ordem contra os tucanos por conta da CPI, a defesa do monopólio estatal e a mudança na Lei do Petróleo, é apenas a motivação que faltava para os movimentos sociais iniciarem a campanha para manutenção do PT na presidência da República.

O que motiva os protestos é garantir a eleição de Dilma Rousseff em 2010, o resto é conversa para enganar os trouxas.

Mas que a oposição não passe recibo, a discussão agora é moralizadora, de correção de rumos, não tem nada a ver com privatização.

Guerra virtualAlém do blog que “vaza” (para usar o termo escolhido pelos jornais) as futuras matérias jornalísticas por meio da publicação das perguntas enviadas por jornalistas à estatal e suas respectivas respostas, a empresa aderiu ao Twitter.

Sem armas para lutar contra a empreitada virtual da Petrobras, O Globo achou seu pote de ouro no perfil da estatal no site de relacionamentos: a Petrobras “segue”, além de jornalistas e leitores, os perfis “Blog da Dilma” e “Dilma 2010”.

E desta vez O Globo não teve nem mesmo que enviar perguntas para o malfadado blog.

Para além da guerraE, apesar do bafafá criado pelo novo blog da Petrobras, os valores de suas contratações – à margem da Lei de Licitações – continuam um mistério.

Contratada exatamente por causa da CPI da Petrobras – aquela que nunca começa e deve ficar para a próxima semana – a consultoria de comunicação CDN também não passou por licitação.

Mais do que isso, o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, não soube informar o valor do contrato na entrevista concedida no programa Roda Viva, da TV Cultura.

Apesar do blog, e do discurso, Gabrielli ainda peca, e muito, pela falta de transparência.

Uma nova ordemA escolha da Petrobras em publicar com antecedência os questionamentos enviados por jornalistas, divulgando pela tangente as futuras matérias, tem uma bela resposta.

Os jornais podem agora inverter a ordem – em vez de ouvir o outro lado antes de publicar a matéria, espere que a empresa responda no blog depois de publicada a matéria para então dar o outro lado.