Roberto Jefferson comenta pesquisa que mostra aprovação recorde de Dilma

PTB Notícias 22/01/2012, 11:58


Leia abaixo comentários do Presidente Nacional do PTB, Roberto Jefferson, publicados em seu blog na internet (www.

blogdojefferson.

com) neste domingo (22/01/2012):Dá-lhe Dilma! Uma pesquisa Datafolha feita na última semana teve como resultado a presidente Dilma batendo recordes, inclusive os do seu padrinho.

Dilma acabou seu primeiro ano de governo com nada menos que 59% dos brasileiros considerando sua gestão ótima ou boa.

Não só a aprovação a Dilma subiu 10 pontos em meros 6 meses, como ela é a presidente com melhor aprovação no primeiro ano de governo entre todos os já eleitos.

Se o plano mais conspiratório era fazer de Dilma uma presidente medíocre para que Lula voltasse em 2014, o plano vai ter que mudar.

Aprendiz de feiticeiro Os números da pesquisa Datafolha realmente impressionam, principalmente quando lembramos que em grande parte deste primeiro ano de governo houve fogo cerrado, mesmo que em alguns casos o fogo amigo tenha saído do próprio Planalto.

Foram nada menos do que sete ministros demitidos, seis deles por escândalos de corrupção.

Mesmo assim, apenas 6% consideraram a gestão como ruim ou péssima e o governo recebeu nota média de 7,2.

Para os brasileiros, diz a pesquisa, Dilma é “decidida” (72%), “muito inteligente” (80%) e “sincera” (70%).

Ou seja, tratar os escândalos com firmeza discreta ao invés de afagos notórios deu resultado.

A aprendiz está virando professora, é bom Lula prestar atenção nesta aula!O “consigliere” Mas a aprovação recorde de Dilma não significa o fim dos dias de Lula.

O ex-presidente continua tendo imensa importância, ocupando o cargo de conselheiro, uma espécie política do “consigliere” italiano.

Tanto que, onde a esquerda anda mais machucada com Dilma, esta foi sem titubear ou disfarçar pedir ajuda e benção a Lula.

Falo da Comissão da Verdade.

Aprovada através de um acordo no Congresso, que evitou a discussão pública do polêmico e mais querido projeto de Dilma, a Comissão causou mais gritaria na esquerda do que com a direita ou os militares.

Agora vem a fase mais difícil: escolher os sete nomes para formar a Comissão que tem como objetivo investigar e esclarecer, principalmente, os acontecimentos da ditadura militar que levou tanto Dilma como Lula à cadeia, mas sem poder puni-los.

É na escolha dos nomes que, de qualquer jeito, a porca torce o rabo e Lula deve ter sido chamado para evitar gritaria em torno do rabo da porca.

Cem nomes O que não falta à Dilma é sugestão de nome para ocupar as vagas da Comissão da Verdade.

De acordo com a “Folha” ela já recebeu mais de cem sugestões.

Porém, não dá nenhuma pista, nem mesmo aos membros do governo envolvidos diretamente na instalação da comissão.

As sugestões estão vindo de todos os lados,com todas as cores – a esquerda está aplicada na tarefa, querendo participar agora já que não participou da aprovação da Comissão no Congresso; os tucanos tem seus escolhidos; os senadores da oposição também reivindicam uma vaga; e até o Ministério Público Federal quer colocar algum dos seus ali.

Mas aqueles membros do governo ligados à instalação da Comissão já vaticinaram: enquanto Dilma não dá dicas ou pistas sobre sua opinião, Lula será um dos pouco interlocutores que terão peso na escolha da presidente.

Dilma para todos os gostos Conta a “Folha” que a pesquisa mostrou que a aprovação de Dilma está distribuída entre todos os brasileiros, independente da classe social, do grau de escolaridade, do sexo, da idade e, veja só, até do partido político.

Entre os entrevistados que apontaram o PSDB como seu partido preferido, Dilma ainda alcançou 40% de aprovação, com 69% deles a considerando “muito inteligente” e 57%, “decidida” e sincera”.

Além da aula sobre como tratar escândalos de corrupção, também a economia teve sua participação no recorde de Dilma.

Para o diretor-geral do Datafolha, Mauro Paulino, o fato de a crise não ter entrado aqui e a inflação, depois do pico de setembro, ter voltado a cair, contaram muito na aprovação do eleitor, seja ele tucano ou não.

E agora, Devanir? Devanir Ribeiro, o deputado federal que até bem pouco tempo atrás insistia em aparecer de vez em quando tirando da cartola um terceiro mandato para Lula, deve estar querendo cavar um buraco para se esconder.

Afinal, se Dilma mantiver os passos firmes deste seu primeiro ano, não vai ter para ninguém em 2014, nem para Lula.

Mas tudo pode mudar se algum Devanir petista aparecer por aí com um fogo amigo de melhor mira, o que, no entanto, acho difícil acontecer.

Para os “Devanir” do PT serem felizes é isso ou acender uma vela para o diabo da crise econômica.

Ainda a rede E tem muita gente querendo surfar no sucesso das redes sociais, alavancado aqui no Brasil esta semana com o estupro do Big Brother e a volta da Luiza, aquela que estava no Canadá.

Uma notícia que desde a posse de Dilma era especulada foi ontem confirmada pelo deputado Paulo Teixeira, líder do PT na Câmara: ele anunciou, em seu Twitter, a saída de José Sergio Gabrielli da Presidência da Petrobrás, além de sua substituição por Maria da Graça Foster, próxima à Dilma e cogitada para o cargo desde o início.

De acordo com a “Reuters” a Petrobras e muita gente no governo foram pegos de surpresa pela notícia vazada pelo Twitter.

Acho que o governo está testando uma nova forma de fazer notícia.