Roberto Jefferson comenta pesquisa sobre popularidade de Dilma e eleições

PTB Notícias 9/06/2013, 11:46


Leia abaixo comentários do Presidente Licenciado do PTB, Roberto Jefferson, publicados em seu blog na internet ( (http://www.

blogdojefferson.

com) www.

blogdojefferson.

com) neste domingo (09/08/2013):Teflon arranhado O Datafolha foi para a rua e pela primeira vez Dilma teve queda em sua popularidade.

Mesmo assim, 57% da população avalia seu governo como ótimo e bom (8 ponto a menos) e 51% das intenções de voto garantiriam uma vitória no primeiro turno se a eleição fosse hoje.

A culpa é da ideia de inflação, tecla martelada pelas aparições de Aécio na série de programas de TV do PSDB e pela imprensa.

Na frase que já é célebre: é a economia, estúpido! E Dilma tem um ano e meio para acabar com a sensação de que a marola finalmente virou onda.

Ainda a melhor, mas nem tão melhor A popularidade de Dilma caiu, mas continua batendo recordes.

Faltando um ano e meio para a disputa pela reeleição ela se sai bem melhor que seus antecessores.

Os seus 57% de aprovação são muito mais do que os 39% de FHC e 36% de Lula (que teve esse período marcado pelo escândalo do mensalão).

A pior notícia para Dilma, contudo, são os números atuais de Lula.

Hoje ele seria eleito com mais votos do que ela (55%) e há ainda quem sonhe com a volta do ex-presidente.

Mais uma razão para colocar a inflação e seus boatos em rédea bem curta.

Votos sumidos Não obstante a queda na popularidade, Dilma ainda seria reeleita no primeiro turno se a eleição fosse hoje.

E apesar de ter caído de 58% para 51% nas intenções de voto, seus adversários não tem muito que comemorar, pois os votos perdidos não foram para eles.

Marina Silva e Eduardo Campos continuam com os mesmos números (16% e 6%, respectivamente).

O único a crescer foi Aécio, que, contudo, ganhou apenas quatro dos oito pontos perdidos por Dilma e aparece agora com 14% das intenções de voto, em terceiro lugar.

Isso depois de ter sua imagem exposta intensamente nas propagandas do PSDB que marcaram o período anterior à pesquisa e de seu discurso de inflação ser um dos maiores culpados pela queda de popularidade de Dilma.

Guerra no nordeste Os melhores números de Dilma continuam vindo do Nordeste, onde também o cada vez mais pré-candidato Eduardo Campos alcança dois dígitos: Dilma tem 59% das intenções de voto, enquanto Campos fica com 12%.

A guerra lá, pelo próximo ano, será nacional e acirrada, enquanto o eixo Rio-São Paulo se enrola e se atrapalha com as brigas fratricidas das eleições estaduais.

Outros sonhos E os institutos de pesquisa continuam enfiando o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, nas pesquisas para a eleição de 2014.

Ele subiu um ponto, aparece com 8% das intenções de voto e pode continuar acalentando outros sonhos de poder.

Discurso ele tem O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, saiu do imbróglio com a questão indígena no Mato Grosso do Sul e chegou a São Paulo com as garras afiadas.

Em entrevista ao “Estadão” ele estava com discurso pronto para responder às críticas do governador Geraldo Alckmin (PSDB), acusando-as de eleitoreiras e palanqueiras.

Discurso Cardozo já tem para entrar na disputa paulista, mas ele jura que não é candidato.