Roberto Jefferson comenta “Veja” sobre escândalo do PT e mensalão

PTB Notícias 13/03/2010, 12:33


Leia abaixo comentários do Presidente Nacional do PTB, Roberto Jefferson, publicados em seu blog na internet ( (http://www.

blogdojefferson.

com/) www.

blogdojefferson.

com) neste sábado (13/3):O mesmo esquema? A matéria principal da “Veja” é uma bomba, a primeira de muitas que ainda devem surgir neste período.

A revista expõe a conexão Bancoop/mensalão, ao comprovar que, além de desviar dinheiro da cooperativa, o tesoureiro do PT, João Vaccari, arrecadava recursos para o partido cobrando 12% de propina de fundos de pensão.

A matéria mostra que a caixa de pandora do mensalão ainda contém muitos segredos explosivos.

Mas uma pergunta não quer calar: por que José Eduardo Dutra escolheu um operador do mensalão para ser tesoureiro da campanha de Dilma? Antes e depoisAs respostas do presidente Lula, a serem juntadas no processo do mensalão, mereceram, por sua importância, destaque na “Folha de S.

Paulo”.

O testemunho de Lula será um marco na ação penal que se desenrola no Supremo Tribunal Federal.

Estão querendo derrubar o muroA coluna “Radar”, de Lauro Jardim, revela que o PSDB já recebeu informações do Ibope sobre uma vertiginosa queda de Serra na próxima pesquisa que será veiculada na semana que vem.

Diz a coluna que Dilma teria inclusive ultrapassado Serra e está um ponto porcentual à frente.

Uma outra coluna da mesma revista – “Holofote” -, entretanto, afirma que está marcado para o dia 10 de abril o lançamento da candidatura presidencial de José Serra.

Diante dos números da nova pesquisa CNI/Ibope, será que a candidatura tucana agüentará mais um mês em cima do muro? A verdadeira caixa de pandoraAs justificativas do PT para o novo escândalo já estão prontas para sair do forno: vão afirmar que a matéria é requentada, que faz parte da disputa eleitoral, que é mais uma iniciativa da “imprensa burguesa golpista”, que o Ministério Público está fazendo uso político da investigação, e por aí vai.

Se as matérias são requentadas, então por que diabos o governo – como afirma o Painel da “Folha” – está se movendo para impedir a reabertura de arquivos da CPI dos Correios relativos aos fundos de pensão Petros, Previ e Funcef? O que tem nessa caixa de pandora do mensalão que assusta tanto o Palácio do Planalto?Documentos continuarão esquecidos?O “Painel” afirma ainda que os partidos de oposição desejam reabrir os documentos da CPI para ter acesso às quebras de sigilo das corretoras que atuaram para os fundos de pensão controlados pelo PT, e que compraram cerca de R$ 25 milhões em títulos da Bancoop.

O problema é que esses arquivos, para serem reabertos, precisam da autorização do presidente do Senado, José Sarney.

Já afirmamos algumas vezes aqui no blog que nos porões da extinta CPI dos Correios dormem tranqüilas, sem sequer terem sido abertas, toneladas e toneladas de caixas contendo documentos obtidos a partir de quebras de sigilo bancário e telefônico.

Mas alguém acredita que Sarney irá conceder autorização para que a oposição vasculhe informações tão explosivas como essas justo agora, e contra seus aliados?Fatura salgadaDiante da nova temporada de escândalos adormecidos que voltam a assustar o governo, e das pressões para reabertura dos arquivos da CPI dos Correios, fica evidenciado que, para eleger Dilma Rousseff, a fatura a ser paga pelo Palácio do Planalto vai ficar cada vez mais salgada.

Se eles conseguirem vencer, vão levar mais oito anos pra pagar essa dívida, que é do tipo que passa de pai pra filha.

Novo programa na praçaConstrução de casas populares parece ser uma pedra no sapato do governo petista.

Enquanto o programa “Minha Casa Minha Vida” sofre com dificuldades burocráticas para cumprir as ambiciosas metas estabelecidas por Lula (construção de um milhão de casas para a população carente), a Bancoop, cooperativa controlada pelo PT, já é conhecida pelo povão como o programa “Minha Casa Nem no Fim da Vida”.

Aceleração bichadaMatéria da “Folha de S.

Paulo” revela que um condomínio construído com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, apresenta diversos problemas para os moradores por causa de erros na construção.

Enquanto a Bancoop promete e não entrega prédios destinados a seus cooperados, o PAC pelo menos chega a construir, mas devolve apartamentos bichados para a população.

Esse programa só consegue mesmo acelerar as dores de cabeça do povão.

Lula, o matemáticoO presidente Lula, ao participar de um evento no Paraná, afirmou que a culpa pelo atual surto de criminalidade juvenil no País é de seus antecessores.

Segundo Lula, o Brasil passou 25 anos sem crescer e sem oferecer oportunidades de emprego, e por conta disso milhares de jovens estão se envolvendo com o crime por conta de erros do passado.

Não dá para entender muito bem a matemática lulista.

Ele deixa claro que os 25 anos sem crescimento obviamente não incluem os sete dele, então esse período de baixo crescimento teria se encerrado em 2003.

Se ele está reclamando da criminalidade juvenil, está falando de bandidos jovens, com idades de 15 a 20 anos.

Como esses delinquentes, no governo FHC, mal tinham saído das fraldas, foi durante o governo Lula que optaram por seguir o caminho do crime, certamente ajudados pela falência do programa “Primeiro Emprego”, que morreu de inanição.

Mas nada disso importa.

Lula já institucionalizou o vale-tudo eleitoral.

De sujos e mal lavadosPor falar em vale-tudo, o presidente Lula ironizou um evento promovido pelo governador de São Paulo, José Serra, ao dizer que ele agora está inaugurando até maquete de obra.

O que falar então de um presidente que inaugura um pedaço de uma obra (uma refinaria no Paraná) condenada pelo TCU por toda sorte de irregularidades, que vão de superfaturamento a licitações viciadas? Esta eleição vai entrar para a história como a competição do sujo que fala mais do mal lavado.