Roberto Jefferson critica linha editorial do jornal O Globo

PTB Notícias 4/03/2009, 13:22


Leia abaixo comentário do Presidente Nacional do PTB, Roberto Jefferson, publicado em seu blog na internet ( (http://www.

blogdojefferson.

com/) www.

blogdojefferson.

com) nesta quarta-feira (04/3):Blablablá Inconformado com o prestígio popular inabalável de Lula, O Globo colore com exagero a disputa política, na tentativa de enxovalhar o governo.

O udenismo exala das páginas, cegando-o, incapaz de reconhecer até quando a disputa é democrática, como no caso da eleição do senador Fernando Collor à Comissão de Infra-Estrutura.

Mas, e se a favorita de Lula (Dilma Roussef) for vitoriosa em 2010, como fica O Globo? Ora, é fácil, como faz sempre, ele vira a casaca.

Quem pauta a linha editorial do jornalão carioca é o comercial – o resto é blablablá.

.

.

Herói de fancariaCom um salário vitalício de R$ 17.

364,00, obtido após atuar por apenas um ano como procurador da Assembléia Legislativa de Pernambuco, o senador Jarbas Vasconcelos é um herói de fancaria.

Mais um a menosE o terceiro turno do Tribunal Superior Eleitoral continua a todo vapor.

Ontem foi a vez de Jackson Lago, governador do Maranhão, ser cassado.

É mais uma eleição para governador, que aconteceu no distante ano de 2006, a ter o eleito substituído pelo segundo colocado, a senadora Roseana Sarney.

Da decisão ainda cabem recursos e até lá Lago permanece no cargo.

Presente à sessão, o procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, declarou nunca ter visto um caso com provas tão claras de abuso de poder econômico em uma eleição.

Se assim é, então, por que tanta demora para cassar um governador que, segundo a Justiça, nem mesmo deveria estar ocupando aquela cadeira? O terceiro turno não é só a traição do voto popular, mas a imposição de um novo governador quando o mandato já chega ao fim – a soma destes dois fatores dá conta da insegurança jurídica e democrática em nosso país.

Alô, Congresso!Repito: o Congresso tem de extinguir a justiça eleitoral (só existe no Brasil!), que, para justificar sua existência, a toda hora cria um problema.

Entre eles, a negativa dos doadores de contribuir legalmente com os partidos nas eleições, com medo de serem escrachados na mídia.

Tem de extinguir, não dá para postergar.

MST ou Movimento dos Caraduras? (1)Pelo visto nem mesmo a forte declaração do presidente Lula condenando os atos ilícitos praticados pelos sem-terra arrefecerá o ânimo do MST.

Em entrevista ao site do movimento, um dos membros da direção nacional do grupo, João Paulo Rodrigues, entre outras sandices, afirma que a imprensa tem veiculado matérias contra o Movimento dos Sem-Terra a mando das “forças de direita”, segundo ele liderada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes.

Rodrigues diz ainda que o MST nunca utilizou qualquer centavo de dinheiro público para realizar ocupações de terra, e que “por uma questão de princípio, as próprias famílias que participam das ocupações dos latifúndios, devem assegurar os recursos necessários para a essa ação política”.

A cara-de-pau dessa turma é realmente impressionante.

MST ou Movimento dos Caraduras? (2)Realmente o MST não usa dinheiro público, já que sequer existe como figura jurídica.

Quem usa recursos do contribuinte são as centenas de ONGs ligadas aos sem-terra, que firmam convênios com a União e governos estaduais para irrigar as ações criminosas do movimento.

E pelo visto, além do dinheiro público, ainda arrancam dinheiro dos pobres coitados que se integram às invasões na esperança de receber algum naco de terra.

E tudo sob as barbas das “forças de direita” que comandam o País.

MST ou Movimento dos Caraduras? (3)Ainda em sua entrevista, o dirigente sem-terra afirma que “a força do MST reside em ser um elemento educativo para as famílias que fazem a luta pela reforma agrária”.

A única educação que o movimento transmite a seus seguidores é a da ilegalidade.

Os sem-terra aprendem a viver à risca da lei, a cumprir ações criminosas, a seguir leis próprias impostas pelos seus líderes.

E o que é pior: o governo celebra convênios com ONGs ligadas ao grupo para promover a alfabetização dos moradores de acampamentos.

Ou seja, o próprio governo está financiando a deseducação de brasileiros que habitam abrigos muitas vezes liderados por verdadeiros bandidos.

Abre o olho, Lula! Bolsa-família neles!