Roberto Jefferson defende eleição de Mozarildo para CPI da Amazônia

PTB Notícias 1/06/2009, 11:39


Leia abaixo comentário do Presidente Nacional do PTB, Roberto Jefferson, publicado em seu blog na internet ( (http://www.

blogdojefferson.

com/) www.

blogdojefferson.

com) nesta segunda-feira (1º/06):Mozarildo é o nome para a CPI da Amazônia (1)Enquanto o governo se arma para bloquear as iniciativas da oposição na CPI da Petrobras, uma outra comissão parlamentar de inquérito deve começar a funcionar na próxima semana, e promete provocar estrondos em uma área delicada e de contornos explosivos.

É a CPI da Amazônia, uma iniciativa do senador Mozarildo Cavalcanti, do PTB de Roraima, e para a qual o Palácio do Planalto também não conseguiu retirar as assinaturas para que ela fosse criada.

De acordo com o requerimento de Mozarildo, a CPI, que terá prazo de 180 dias, investigará o conflito referente à demarcação da reserva indígena Raposa Serra do Sol; os problemas envolvendo a soberania nacional nas áreas de fronteira, como tráfico internacional, terrorismo, guerrilhas e vigilância; o recrudescimento da aquisição de terras por parte de estrangeiros e o desmatamento da floresta.

As ONGs que atuam irregularmente na região também entrarão no alvo da comissão.

Mozarildo é o nome para a CPI da Amazônia (2)Nos últimos tempos tem sido desrespeitada uma antiga praxe do Congresso Nacional de conferir a presidência de uma CPI ao autor do requerimento para sua instalação.

Por esse motivo, é bom o senador Mozarildo Cavalcanti abrir o olho, já que o governo resolveu acionar o rolo compressor para esmagar qualquer iniciativa que possa criar constrangimentos ao Palácio do Planalto neste ano pré-eleitoral.

O certo é que Mozarildo seja eleito como presidente da comissão, e o PTB não pode aceitar que queiram sacar um nome qualquer da base apenas para inviabilizar a pauta de trabalhos da nova CPI.

Já deve ter sido com esta intenção que o governo listou senadores como Aloizio Mercadante, Renato Casagrande, Osmar Dias e Gilvan Borges como titulares desta comissão parlamentar de inquérito.

Olho neles!