Roberto Jefferson é reconduzido à presidência nacional do PTB

Agência Trabalhista de Notícias 14/04/2016, 15:14


Os membros do Diretório Nacional do Partido Trabalhista Brasileiro, reunidos nesta quinta-feira (14/4/2016) no Hotel Nacional, em Brasília, decidiram, por aclamação, reconduzir o ex-deputado Roberto Jefferson à presidência nacional do partido.

O Diretório Nacional aclamou a volta de Roberto Jefferson com uma salva de palmas.

Na mesma reunião, também foi decidido, de forma unânime, o fechamento de questão em torno do voto a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff, na votação que deve ocorrer neste domingo (17).

Roberto Jefferson assume pela terceira vez a presidência do PTB, já que comandou a sigla no período de 2003 a 2005, de 2006 a 2012, e agora novamente em 2016.

Ao devolver a presidência do PTB a Roberto Jefferson, a deputada Cristiane Brasil (RJ) afirmou que ele volta no momento certo.

(/_tinyimg/ReuniaoDiretorioNacional-CristianeBrasilRobertoJefferson-FotoNetoSousa.

JPG) “Quem começou esta luta que temos agora foi meu pai, sozinho, em 2005, denunciando o esquema corrupto do mensalão.

Roberto Jefferson merece voltar no epílogo do PT no Planalto Central”, disse.

A ex-presidente apresentou, na reunião, a moção de defesa do fechamento de questão em torno do apoio ao impeachment da presidente da República, Dilma Rousseff, que foi acatada por unanimidade por todos os presentes ao encontro.

“O PTB vai estar unido ao lado do governo que vai reunificar o Brasil”, afirmou em seguida a deputada.

O secretário-geral do PTB e presidente do partido em São Paulo, deputado estadual Campos Machado, elogiou o trabalho desempenhado por Cristiane Brasil à frente da sigla.

Classificando-a como uma mulher “voluntariosa, guerreira, corajosa, parceira e amiga”, Campos enfatizou que Cristiane orgulhou o PTB no período em que liderou o partido.

Ela foi eleita em dezembro de 2014, em Convenção Nacional realizada no Rio de Janeiro.

(/_tinyimg/ReuniaoDiretorioNacional-CamposMachado-FotoNetoSousa.

JPG) “Hoje ela abre mão de dois anos e meio de mandato.

Ela não abre mão apenas em função de ser o Roberto Jefferson.

Abre mão porque preza pelo que eu mais prezo: a família.

E o que eu mais prezo também é a família petebista.

Essa é a grande família que existe”, disse Campos.

“Portanto, neste dia, rendo-lhe minhas homenagens.

Sou testemunha do orgulho incondicional que você tem do seu pai.

“O líder do PTB paulista destacou a trajetória de lutas e vitórias de Roberto Jefferson, dizendo que o presidente “enfrentou as maiores dificuldades que um ser humano pode enfrentar”.

“Quando se imaginava que o Roberto estava nas cinzas, eis que ele ressurge como uma fênix.

Ressurgiu mais forte, mais destemido e mais corajoso do que nunca”, declarou Campos.

“E ele se propõe a correr o Brasil.

A Cristiane foi uma grande presidente, mas o Roberto é o retrato, a alma, a imagem e o coração do PTB.

E chego a dizer que ele, pelo PTB, é capaz de dar a sua própria vida.

“Ao falar na reunião do diretório, após ter sido reconduzido à presidência, Roberto Jefferson disse que o momento é de união do partido.

Jefferson destacou que esta foi a primeira reunião que ele presidiu no PTB que contou com a presença de todos os deputados federais e todos os senadores presentes, e reafirmou seu orgulho pelo fato de o partido não ter se envolvido com os escândalos que assolam a política brasileira.

(/_tinyimg/ReuniaoDiretorioNacional-RobertoJeffersonMesa-FotoNetoSousa.

JPG) “Caminhamos muitas vezes por caminhos distintos, mas com objetivos iguais.

Mais à esquerda, mais à direita.

Mas pessoalmente preservamos nossas relações.

Hoje é a primeira vez que eu vejo o PTB todo junto.

Quis Deus isso.

E o partido, eu vejo assim: como se estivesse na ponta da pista do aeroporto, de proa emborcado para o céu.

O partido não está na Lava Jato, não está na cartilha das empreiteiras, não está na lista dos doleiros.

O PTB não é vítima de investigação partidária por parte da Justiça brasileira.

Alguns, uns e outros, por ligação ao Lula, por amizade pessoal a Dilma.

Mas as coisas ficaram restritas no universo pessoal deles – os que estão tendo problemas – ou o governo federal.

Não envolveu a instituição partidária.

Não passou pelo PTB, não conspurcou, não marcou, não manchou a bandeira de nosso partido.

Então nós estamos prontos, ainda mais neste reencontro da Direção Nacional, que sempre teve uma posição mais confrontante ao PT e ao governo do PT.

E a bancada agora que, magistralmente liderada por Jovair [Arantes], faz esse reencontro entre nós”, declarou o presidente do PTB.

Defensor do impeachment, Roberto Jefferson disse acreditar que seu retorno acontece por uma “coincidência histórica”.

“Vejo aqui a mão de Deus.

Pude voltar ao campo de luta depois de ter iniciado esse processo há uma década.

Voltei para o campo de luta e estou feliz de poder gritar bem alto ao lado do povo brasileiro que a nossa bandeira jamais será vermelha.

Vencemos”, concluiu.

Processo de impeachment O líder do PTB na Câmara dos Deputados, Jovair Arantes (GO), comemorou a volta de Roberto Jefferson ao comando do partido.

Em discurso no encontro, Jovair disse que Jefferson é construtor de partido e que volta ao lugar de onde nunca deveria ter saído.

(/_tinyimg/ReuniaoDiretorioNacional-JovairArantes-FotoNetoSousa.

JPG) “Você sempre teve o respeito de todo o partido, mesmo diante de todas as dificuldades e situações que passou”, afirmou.

“Os astros se alinharam de uma forma que o trazem de volta neste momento importante da bancada.

Isso, por si só, é simbólico.

Porque ele começou tudo isso.

Foi ele quem fez a denúncia lá atrás do malfadado mensalão.

Pagou preço altíssimo por isso.

Ajustou com a sociedade e hoje está de volta.

Então livre de qualquer problema, já pronto para estar conosco nessa empreitada importante”, destacou Jovair, que foi o relator do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

O líder petebista também fez um resumo sobre o parecer que apresentou na comissão especial da Câmara, que aprovou o relatório do deputado favorável ao impeachment.

De acordo com Jovair, o relatório é da bancada do PTB, que, frisou ele, foi “ímpar” neste trabalho.

“A presidente passou em cima do Congresso Nacional, usurpou a competência do Poder Legislativo e isso, segundo a Constituição, é crime.

” (/_tinyimg/ReuniaoDiretorioNacional-RobertoJefferson-FotoNetoSousa.

JPG) O presidente Roberto Jefferson disse que Dilma Rousseff não escapa do impeachment na Câmara dos Deputados.

Segundo Jefferson, o relatório apresentado por Jovair Arantes é “pleno, acabado, perfeito, irretorquível, indiscutível”.

“É legal, constitucional, moral, tem valores.

Esse é o caminho.

Nós estamos falando em democracia, é o regime da lei.

Nós estamos falando em pacificação, é o regime da lei.

Na democracia nós acolhemos a lei, nós não estamos acima dela”, frisou.

“Getúlio dizia: “na vitória, magnanimidade”.

Sejamos magnânimos, porque essa batalha nós vencemos.

Ninguém vai negar que o PTB escreveu o prefácio, a história, e assina o epílogo agora no último capítulo que vai ao ar neste domingo.

“PresençasParticiparam da reunião a agora ex-presidente, a deputada Cristiane Brasil (RJ); o vice-presidente, deputado Benito Gama (BA); o secretário-geral e presidente do PTB de São Paulo, deputado estadual Campos Machado; os líderes do PTB na Câmara, Jovair Arantes (GO), e no Senado, Elmano Férrer (PI); os deputados federais e senadores do partido; os secretários da Executiva Nacional Norberto Martins (1º secretário-geral), Honésio Ferreira (Comunicação), Luiz Francisco Correa Barbosa (Jurídico) e Anderson Xavier (Mobilização Nacional); o primeiro-tesoureiro, Luiz Rondon; as presidentes do PTB Mulher, Marlene Campos Machado, e da Juventude do PTB, Graciela Nienov; presidentes estaduais, lideranças e demais membros do partido.

(/_tinyimg/ReuniaoDiretorioNacional-Mesa-1-FotoNetoSousa.

jpg) Agência Trabalhista de Notícias, por ELM e Felipe MenezesFotos: Neto Sousa