Roberto Jefferson elogia postura de Lula durante encontro com Obama

PTB Notícias 15/03/2009, 22:14


Leia abaixo os comentários do Presidente Nacional do PTB, Roberto Jefferson, divulgados em seu blog na internet ( (http://www.

blogdojefferson.

com/) www.

blogdojefferson.

com) neste domingo (15/3):Lula e Obama, tudo a ver Gostei muito da postura do presidente Lula no primeiro encontro com seu colega norte-americano, Barack Obama.

Lula esteve o tempo todo à vontade, como um verdadeiro estadista.

Mesmo não conseguindo arrancar de Obama o compromisso de influir no atual cenário das práticas protecionistas americanas, ficou no ar a promessa da manutenção dos acordos e a chance de um entendimento na área de combustíveis alternativos.

O visível bom humor e satisfação que sobressaíram no encontro podem marcar o início de uma nova era de parcerias entre Brasil e EUA.

Os Estados Unidos somos nósAinda sobre o encontro entre os presidentes dos EUA e do Brasil, é preciso se registrar que as fotos publicadas em todos os jornais mostrando Lula e Barack Obama revelam que o Brasil, no momento, parece um país muito mais robusto do que os Estados Unidos.

Pelo menos se levarmos em consideração a forma atual de ambos os presidentes.

Na fotografia, se compararmos Lula e Obama, percebemos que o paraíso é aqui.

Os Estados Unidos somos nós, essa América mais parece uma Biafra.

Fator previdenciário perto do fimO relator do projeto que acaba com o fator previdenciário, deputado Pepe Vargas, do PT gaúcho, quer promover quatro audiências públicas na Comissão de Finanças da Câmara para discutir o assunto, antes de apresentar seu parecer.

É preciso que a bancada do PTB fique atenta e participe ativamente destas reuniões.

Na última Convenção Nacional do partido, ratificamos nossa posição contrária ao fator previdenciário e a projetos que causem prejuízos às aposentadorias e pensões.

A partir da ação do deputado Arnaldo Faria de Sá a favor dos aposentados, nos unimos em torno de suas idéias e decidimos inclusive inserir no próprio Estatuto do PTB nossa defesa pelo fim do fator previdenciário.

A luta do deputado Arnaldo foi encampada fervorosamente por todos os que militam no partido.

Banho de povoO jornal Folha de S.

Paulo, em matéria neste domingo, destaca as dificuldades enfrentadas pela ministra Dilma Rousseff para se tornar uma política conhecida do grande público.

Diz a Folha que em um evento recente na Bahia, uma dona de casa de 65 anos, ao ser perguntada sobre o que achou do discurso da ministra, afirmou que “ela é sincera, mas fala difícil”.

Já afirmei isto algumas vezes aqui no blog.

Dilma precisa tomar um banho de cultura popular.

Ela precisa adocicar suas posições e se popularizar.

O discurso de Dilma soa, na maioria das vezes, sofisticado e distante da realidade do povão.

Não há nada mais importante para um político do que ir pra rua e olhar seu eleitor nos olhos, até mesmo para ser criticado e entender melhor os anseios da população.

Não tem marqueteiro que substitua o contato direto com o povo.

O carisma não está no nomeUma outra crítica que li recentemente sobre a dificuldade do governo de emplacar Dilma junto ao eleitorado mais pobre seria o complicado sobrenome Rousseff.

A meu ver, esta não seria uma dificuldade para a ministra.

Se lembrarmos que Juscelino Kubitschek, a despeito de ser um nome difícil de pronunciar e para se escrever, foi um grande presidente do Brasil (além de adorado por seu povo), percebemos que esta questão do sobrenome não quer dizer muita coisa.

Não precisa ser Silva para se tornar popular e amado pelas pessoas.