Roberto Jefferson fala sobre crise, taxa de juros, Obama e caso Battisti

PTB Notícias 19/01/2009, 11:53


Leia abaixo comentários do Presidente Nacional do PTB, Roberto Jefferson, publicados em seu blog na internet ( (http://www.

blogdojefferson.

com/) www.

blogdojefferson.

com) nesta segunda-feira (19/1):Hibernando Ninguém crava o destino da economia brasileira.

Fala-se em recessão, mas quem sai à rua não confirma as manchetes, tal o sucesso das promoções pós-Natal.

Não ignoramos as estatísticas, mas ninguém aposta que o País de fato desceu a ribanceira.

Terá Lula cacife para segurar o emprego e bancar Dilma em 2010? Ou afia a espada a ser fincada no coração serrista, apoiando Aécio? Ou o 3º mandato? A definição das Mesas da Câmara e Senado ajudará a clarear o cenário (para o bem ou para o mal).

No País é verão, na política, inverno – todos hibernam.

Campeão às avessasA semana começa sob grande expectativa em relação à reunião do Copom que definirá a nova taxa de juros.

Além da indústria e do comércio, até mesmo as centrais sindicais prometem pressionar por uma queda mais forte na Selic.

Acredito que a taxa será reduzida, mas não aposto em um corte maior do que 0,5%.

Na verdade, a nossa economia, que enfrenta um período de desaceleração, precisava de uma atitude ousada dos membros do Copom para uma sinalização de retomada do crescimento e combate aos efeitos da crise mundial.

Mas acho que o presidente do BC, Henrique Meirelles, manterá seu discurso conservador e de cautela para não criar pressões inflacionárias.

O recado de Meirelles deverá ser o seguinte: o Copom é um órgão eminentemente técnico, e não se deixará emparedar por pressões políticas.

Vai ver o Meirelles gosta do título de campeão mundial dos juros.

Mito em construçãoHá muito tempo não se via uma posse de um presidente gerar tanta expectativa e ansiedade como a do norte-americano Barack Obama, nesta terça-feira.

Ninguém é capaz de prever se o novo presidente estará à altura do desafio que lhe aguarda na Casa Branca, mas há uma enorme predisposição da população, da imprensa e do próprio universo político em colaborar para que Obama se transforme rapidamente no líder que irá tirar a economia mundial do atual cenário de crise.

A salvação só virá com o sacrifício dos americanos, e o presidente democrata assume com cacife para cobrar e exigir do povo uma nova postura, quase um pacto para que o país inverta sua lógica de gastar muito e poupar pouco.

Se além de unir os norte-americanos o novo presidente conseguir aprovar no Congresso seu pacote de socorro a bancos e empresas com dificuldades, Obama estará dando um grande passo para transformar a esperança em realidade, cumprindo a missão de recolocar os Estados Unidos no posto de grande timoneiro da economia mundial.

O presidente multimídiaDurante todo o fim de semana as TVs de todo o planeta mostraram a brilhante jogada de marketing de Barack Obama, ao refazer o caminho trilhado por Abraham Lincoln rumo a Washington.

O novo presidente mostra que domina como poucos as mídias mais modernas do mundo globalizado, e mexe com o imaginário dos norte-americanos ao reforçar em seu discurso valores como democracia, liberdade, patriotismo.

O fenômeno Obama se mostra mais nítido nas novas ferramentas de comunicação, como o youtube, as mensagens via celular, e os blogs, espaços dominados pela camada mais jovem da população.

Barack Obama se utiliza das novas mídias como ninguém, e por conta disso está transformando a sua posse em algo como o “evento do século”.

Mesmo antes de assumir a Casa Branca, ele já apresenta seu cartão de visitas como o maior político multimídia do mundo ocidental.

No microondasNão será surpresa uma reviravolta no caso do italiano Battisti.

Viria pelo Supremo Tribunal Federal, que alega que a Corte ainda não analisou a concessão de asilo político ao terrorista pelo ministro Tarso Genro (Justiça) depois de o pedido ter sido negado pelo Comitê Nacional de Refugiados Políticos (Conare).