Roberto Jefferson parabeniza Jovair por liderança

PTB Notícias 1/02/2011, 13:52


Leia abaixo comentários do Presidente Nacional do PTB, Roberto Jefferson, publicados em seu blog na internet (www.

blogdojefferson.

com) nesta terça feira (01/02/2011):Hora de trabalhar! A eleição no Congresso não trará surpresas.

Marco Maia e José Sarney presidirão, respectivamente, a Câmara e o Senado.

O importante agora é iniciar logo os trabalhos, embora ainda exista uma nova rodada de brigas e insatisfações na próxima semana por conta da escolha dos presidentes de comissões permanentes.

Passado este momento, a hora é de arregaçar as mangas e limpar uma pauta carregada não só de MPs, mas também de projetos (polêmicos) que se arrastam desde o ano passado – PEC 300, Emenda 29, partilha dos royalties do petróleo.

Mãos à obra! Encontro emblemáticoQuero saudar a presidente Dilma Rousseff pela postura serena e emocionada com a qual se houve no encontro com as madres e abuelas da Praça de Mayo, ontem, em Buenos Aires.

Para quem quer fazer dos Direitos Humanos uma de suas principais bandeiras (se não a maior) nas relações internacionais, a presidente foi muito feliz inicialmente na escolha da organização argentina como símbolo de sua nova política.

Quem tudo quer, tudo perdeA eleição do deputado baiano ACM Neto para a Liderança do DEM, por larga margem de votos (27 x 16), parece ter matado dois coelhos com uma cajadada no conflagrado partido.

Além de fortalecer o grupo (dos Maia, Cesar e Rodrigo) que deseja fazer do senador José Agripino o futuro presidente do partido (em oposição ao ex-presidente Marco Maciel), ajuda a sepultar o projeto do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, de manter o controle sobre o DEM ainda que migre para o PMDB.

Quanto a isso, aliás, eleito líder, ACM Neto prontamente enviou seu recado a Kassab: espera que ele permaneça no DEM.

Caso contrário, o partido pode barrar a saída do prefeito, ingressando na Justiça Eleitoral para reivindicar o mandato, por infidelidade partidária.

Para isso, contará com a ajuda do senador Aécio Neves, que já declarou ser contra a criação da janela partidária.

Na pautaCom relação à janela partidária, cabe um adendo: o Palácio do Planalto tem interesse em criá-la, pois faria crescer o bolo da base governista.

A questão tende a espichar de importância, principalmente porque, segundo estudo do Instituto FSB Pesquisa, 65% do novo Congresso têm a reforma política como prioridade.

Será um bom cabo-de-guerra: de um lado, o Planalto lutando para aumentar o bolo governista; de outro, a oposição batalhando para conservar seu espólio.

Bons presságiosApesar de a votação das 23 medidas provisórias ser o tema central nas primeiras semanas dos trabalhos legislativos, há muito o que fazer.

A boa notícia para os parlamentares é a intenção do Palácio do Planalto (pelo menos até aqui) de não querer comandar a pauta do Parlamento.

Depois de oito anos de pesada interferência do Executivo sobre o Legislativo, enfim parece que os parlamentares poderão voltar a trabalhar com independência.

Creio que a legislatura que inicia seus trabalhos hoje será melhor do que a anterior, que não foi da mais produtivas, frustrando a sociedade.

Boa sorte ao novo Congresso Nacional!Briga de cachorro grandeMesmo com a boa vontade das novas Mesas Diretoras e das lideranças partidárias, dificilmente o Congresso conseguirá votar todas as 23 medidas provisórias que bloqueiam a pauta até a Semana Santa.

Principalmente por conta da MP 516/10, assinada por Lula, fixando o valor do salário mínimo em R$ 540 em 2011.

Com as centrais elevando o tom, e o governo prometendo endurecer sua posição em torno de R$ 545, a briga promete consumir muitas sessões nas duas Casas.

DNA de DilmaSó ao fim do cabo-de-guerra em torno da votação do salário mínimo é que o Palácio do Planalto deverá enviar ao Congresso a Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2012.

A LDO, que define a política de gastos do governo e orienta o processo de elaboração do Orçamento para o ano seguinte, representará o cartão de visitas do governo Dilma.

Ao estabelecer suas metas para o ano que vem, a presidente estará dizendo, em números, quais são suas prioridades: se profundamente comprometida com o ajuste fiscal ou se já está pensando em 2014.

Mas até lá terá que vencer, primeiro, a batalha do mínimo.

A vitória nesta votação poderá lhe dar musculatura suficiente para impor seu ritmo à administração do País.

Xadrez egípcioO Egito está em chamas.

Na berlinda, os militares, que, espera-se, principalmente podem colocar a pá de cal sobre o moribundo governo de Hosni Mubaraki.

Nesta luta, os EUA têm um importante papel, principalmente porque terão de abandonar sua política (em sua versão moderna herdada de Goerge W.

Bush, depois do 11 de setembro) de apoio a governos não-democráticos em troca da represssão aos movimentos políticos islâmicos.

Esta política, que contou com o apoio de aliados, como o Reino Unido, se mostrou nefasta, servindo para que ditadores corruptos e sanguinários se mantivessem no poder a sua custa (a ex-república soviética do Uzbequistão é um bom exemplo deste equívoco).

O jogo é de xadrez no Egito – se a questão for malconduzida, a Sociedade dos Irmãos Muçulmanos, movimento radical nos moldes do Talibã, pode dar um xeque-mate no Ocidente e produzir um novo Afeganistão.

Viagem ao fundo do marAinda sobre o DEM, no dia três de fevereiro de 2007, depois que o PFL (antigo nome do DEM) e o PSDB racharam na eleição para a presidência do Senado, escrevi o seguinte comentário neste blog: “O partido tem que ter força para construir seu próprio destino: deixar de ser amante para tornar-se o protagonista de espetáculo próprio.

O PFL deve firmar-se como partido conservador.

Ultrapassar a viuvez da morte de Luís Eduardo Magalhães e formar novos líderes talhados para estruturar o partido.

Hoje, o PFL está à deriva”.

Passados quatro anos, o partido mudou de nome, mas, pelo visto, continua à deriva.

Todos de parabénsMeus cumprimentos ao deputado Jovair Arantes, reconduzido por aclamação pela bancada à Liderança do PTB.

Esta é a quarta vez seguida que Jovair é indicado pela unanimidade de seus pares ao posto.

Meus parabéns ao Jovair e à bancada.

Continuando na continuidadeNo início do ano havia constatado aqui que nos sites oficiais da Presidência percebia-se que o slogan e a logomarca que marcaram o governo anterior (“Brasil, um País de todos”) tinham desaparecido.

Acreditava que, discretamente, como é do seu feitio, a presidente iria impor sua marca.

Qual não foi a surpresa em ver que aos pouquinhos o slogan e a logomarca de Lula estão voltando.

No site da Presidência ela aparece bem pequenina, mas nas propagandas oficiais em revistas e TV, a marca pode ser vista com bastante nitidez.

O Blog do Planalto, contudo, continua sem a famosa logomarca.

Será que isso tem a ver com as notícias que li nesses dias de que o publicitário João Santana vem mantendo conversas com Dilma? Ou o uso da marca anterior por algum tempo é comum em período de transição?Expectativa positivaPara quem milita a favor dos direitos dos aposentados como nós, chamou a atenção ontem a divulgação do levantamento do site G1, segundo o qual, de 414 deputados pesquisados, 228 disseram ser a favor do fim do Fator Previdenciário, 116 se colocaram contra a extinção, e 70 não souberam responder.

Creio que poderemos obter avanços significativos na defesa dos direitos dos aposentados neste ano de 2011.

O PTB está nessa luta.