Roberto Jefferson questiona ausência de ministro na discussão do mínimo

PTB Notícias 29/01/2011, 12:29


Leia abaixo comentários do Presidente Nacional do PTB, Roberto Jefferson, publicado em seu blog na internet ( (http://www.

blogdojefferson.

com/) www.

blogdojefferson.

com) neste sábado (29/01/2011):Cadê o ministro do Trabalho? A presidente Dilma, que ainda não se pronunciara sobre o reajuste do salário mínimo, quebrou o silêncio e defendeu a proposta de R$ 545, deixando um recado claro às centrais sindicais: é pegar ou largar.

Aparentando inconformidade, o deputado Paulinho, da Força Sindical, reagiu e disse que o único caminho será o “confronto no Congresso”.

Nada a estranhar, cada um no seu papel, mas afinal de contas, cadê o ministro do Trabalho? Quem ele defende nesta discussão? Ele é ministro das centrais ou do governo Dilma? Só com lupa pra se achar o Lupi.

Para ficar claroAinda sobre a questão do reajuste do salário mínimo, não se pode esquecer que o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, pertence ao PDT, o mesmo partido do deputado Paulinho Pereira, presidente da Força Sindical e um dos que vem terçando lanças pela aprovação de um reajuste maior para o salário mínimo.

É muita cara de pau!Era só o que faltava.

Em reunião do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, o presidente francês Nicolas Sarkozy atribuiu à alta dos alimentos a culpa pelas revoltas na Tunísia e no Egito, citando especificamente o Brasil, como se o aumento no preço de commodities fosse o combustível para as insatisfações populares naqueles países.

A afirmação de Sarkozy é duplamente cínica.

Primeiro, porque um país como a França, que subsidia sua agricultura com bilhões de euros transferidos aos agricultores, e que cria barreiras intransponíveis ao seu mercado para países em desenvolvimento, não tem autoridade para reclamar do preço dos alimentos de outros países produtores.

Segundo, porque os franceses, assim como as outras potências, apoiam e negociam à farta com os regimes ditatoriais dos países que agora vêem sua população se rebelar.

Enfim, como dizia minha avó, antes dos outros, que cada “macaco” olhe pro seu próprio rabo.

Vai sobrar pra gente.

.

.

Os jornais afirmam neste sábado que o empresário Silvio Santos agora está ansioso por conseguir vender sua participação no banco Panamericano.

Para quem não se lembra, esta é aquela instituição financeira onde o Banco Central descobriu, há três meses, haver um rombo da ordem de R$ 2,5 bilhões.

Esta, aliás, é a mesma instituição em que se descobriu, agora, que o buraco é mais embaixo, e atinge o total de R$ 4 bilhões.

Como a Caixa Econômica está envolvida na operação de salvamento do Panamericano, e agora na sua venda, estou desconfiado, caro leitor, que vão espetar essa conta nas nossas costas.

Não tem jeito, sempre acaba sobrando pro pobre do contribuinte.