Roberto Jefferson: regras para mudança de partido devem ser mais rígidas

PTB Notícias 27/09/2013, 16:49


Leia abaixo os comentários do líder petebista Roberto Jefferson, publicados nesta sexta-feira (27/9/2013) em seu blog (www.

blogdojefferson.

com).

Um fim à bagunça Diz a “Folha” que os dois novos partidos montaram estande no Congresso e oferecem abertamente aos parlamentares o rateio do fundo partidário para obterem filiações.

Por essas e outras, e como cerca de 20 novos partidos tentam entrar no jogo para 2016/18, acredito que está na hora de o parlamento aprovar o projeto que cria regras mais rigorosas para frear o troca-troca partidário.

É preciso mudar a regra de deputados saírem de seus partidos levando consigo parcela proporcional do fundo partidário e tempo de TV.

Partido não é banca de comércio.

De volta ao passado (recente) A nova pesquisa Estadão/Ibope divulgada na noite de ontem, com os cenários para a eleição presidencial de 2014, parecem sinalizar que, assentada a poeira levantada pelas intensas manifestações de rua em junho/julho, os candidatos estão voltando lentamente ao patamar que tinham antes dos protestos.

Dilma continua liderando e recuperou parte dos mais de 20 pontos que perdeu.

Aécio retornou aos 11% em que havia estacionado antes de junho (havia crescido para 13% no pós-ruas), assim como Eduardo Campos desceu para os mesmos 4% que teve durante boa parte do ano.

Também merece destaque o fato de que, nesta pesquisa, não foi alterada a posição do contingente de eleitores sem candidatos: nada menos que 1 em cada 3 brasileiros segue sem definir seu presidente preferido.

Ou seja, muita água ainda vai passar debaixo dessa ponte.

Fotografia de corpo inteiro A situação da ex-senadora Marina Silva na pesquisa Estadão/Ibope merece um capítulo à parte.

Às voltas com as muitas dificuldades para oficialização da sua Rede e sem saber se estará na urna em 2014, Marina viu a pesquisa registrar apenas 16% de intenções de voto no seu nome, contra 22% que a apontavam como indicada na pesquisa de julho.

Com essa queda de seis pontos percentuais, Dilma abriu distância de 22 pontos de Marina, um aumento de 14 pontos em relação à distância de apenas 8% que as separavam em julho.

Fica a impressão, com essa nova sondagem, que Marina Silva teve um crescimento artificial na esteira das manifestações de junho, guindada à posição que chegou por ser a queridinha da mídia, a única que escapou dos protestos e pelo pessimismo reinante na economia.

Com o quadro mudando, Marina voltou ao seu tamanho natural.

Os fantasmas se divertem Descartado pelo DEM, o veterano ex-governador do Distrito Federal Joaquim Roriz buscou abrigo no PRTB do ex-senador Luiz Estevão, e chegou falando que sairá candidato ao que seria seu quinto mandato em Brasília.

O Rorizão vai dar trabalho ao Agnulo, e não só ele.

José Roberto Arruda, que renunciou depois do escândalo da Operação Pandora, e Rodrigo Rollemberg, senador ligado ao governador Eduardo Campos, também prometem colocar seus times na rua.

A disputa pelo Palácio do Buriti promete ser animada.