Rony Alves alerta contra falta da vacina palivizumabe em Londrina (PR)

PTB Notícias 12/05/2014, 7:04


Nas últimas quatro sessões da Câmara de Vereadores de Londrina (PR), o presidente da Casa, Professor Rony Alves (PTB), tem usado a tribuna para trazer à tona um problema que está assustando diversas famílias londrineses: a falta de uma vacina essencial para crianças que nasceram prematuras ou que estejam com problemas de cardiopatia ou respiratórios graves.

O palivizumabe é um medicamento que os bebês precisam tomar ao nascerem nestas condições.

A falta dela pode propiciar risco de morte.

São necessárias cinco doses, nos primeiros cinco meses de vida.

Cada dose custa cerca de R$ 5 mil.

Segundo o vereador, hoje existem 17 crianças em Londrina precisando deste medicamento, 80 crianças na região e mais 800 no Paraná.

“Temos informações de que um bebê está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI); e de uma criança que faleceu na semana passada.

Enquanto isso ficamos ouvindo o governo do Estado, por meio da Secretaria de Saúde, dizer que os pais que querem a vacina para seus filhos, que entrem na justiça”, disse Rony.

Ele questionou, ainda, a maneira como o Estado tem conduzido a questão.

“Agora o governo achou um culpado.

Agora a culpa é do Ministério da Saúde.

Só que cada vez que os pais entram na justiça, aparece um avião trazendo um frasco de vacina.

Engraçado, né?”, questiona.

Falta de atenção efetivaDe acordo com o presidente Rony Alves está ocorrendo uma intensa falta de respeito e atenção do governo do Estado com relação às políticas de saúde pública em Londrina.

Ele discursou falando diretamente ao secretário de Saúde do Paraná, Michele Caputo.

“Londrina está na dispensação do senhor secretário com relação ao palivizumabe, com relação aos problemas do Zona Norte, aos problemas da Zona Sul.

Sabia que a irresponsabilidade do governo do Estado, dentro dos hospitais estaduais, estão causando um inchaço dentro das Unidades Básicas de Saúde e dentro nas nossas UPAs? Se os hospitais não funcionarem a contento a saúde vai pro “beleléu” em Londrina.

E o senhor é parceiro.

Só não sei de que”, criticou.

O debate tomou corpo e sensibilizou outros vereadores, que também manifestaram preocupação com a questão.

O governador informou pela sua rede social, durante esta semana, que os problemas estão se resolvendo.

Mas o vereador foi enfático na resposta: “Está tudo resolvido, para aqueles que entraram na justiça.

As demais crianças, que também têm este direito garantido e ainda não conseguiram liminar, continuam sem a medicação”.

Nesta quinta-feira apenas cinco bebês foram vacinados; quatro deles, graças a intervenção judicial.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da assessoria do vereador Professor Rony Alves (PTB-PR) Foto: Devanir Parra