Rony Alves faz críticas à saúde no Paraná e expõe situação de prematuros

PTB Notícias 5/05/2014, 8:57


O presidente da Câmara Municipal de Londrina, vereador Professor Rony Alves (PTB), teceu duras críticas ao governo do Paraná durante as duas sessões da Câmara, na última semana.

Ele chamou a atenção dos demais vereadores e da imprensa presente, pedindo ajuda para fazer ecoar um manifesto a respeito da saúde pública, em Londrina.

Primeiramente, ele levantou uma reflexão a respeito das problemáticas nos hospitais da Zona Norte e Zona Sul, que têm sido motivo de diversas denúncias, principalmente no atendimento – ou falta de atendimento -, possibilitando uma demanda cada vez maior às Unidades de Pronto Atendimento (UPA).

“A saúde em Londrina passa por seus gargalos no que diz respeito aos Postos de Saúde.

No início deste ano e no final do ano passado alertei com relação ao perigo que corria os hospitais da Zona Norte e Zona Sul.

Eles vão muito mal.

Atendimento precário, jogando a maioria dos pacientes para a UPA.

E ela não foi criada para atender esta demanda toda”, destacou o vereador, ressaltando que as respostas do governo do Estado ainda estão “longe de serem as mínimas ideais”.

Falta de VacinaMas o discurso de revolta do vereador teve um tom mais acentuado quando mencionou a falta de uma vacina, de custo alto, mas de extrema urgência para bebês londrinenses que nasceram prematuros e estão correndo risco de morte.

O Palivizumabe (VSR) é uma vacina que os bebês precisam tomar ao nascerem nesta condição.

São necessárias cinco doses, nos primeiros cinco meses de vida.

Cada dose custa cerca de R$ 5 mil.

Segundo o vereador, hoje, existem 17 crianças em Londrina precisando deste medicamento, que é de responsabilidade do Estado custear, mas não está disponível.

“As crianças que nascem prematuras, ou que nascem com problemas de cardiopatia, problemas respiratórios, precisam desta vacina.

Fui procurado por várias famílias londrinenses desesperadas.

Há uma família, por exemplo, que tem duas crianças, gêmeas, necessitando desta vacina para sobreviver.

Qual família tem condições de arcar com este valor? O que preocupa é a urgência.

As ausências destas vacinas podem causar a morte delas”, destacou.

Rony disse estar esperançoso de que a Secretaria de Estado cumpra com o acordo, pediu urgência na solução deste caso e levou à Casa a preocupação de diversas famílias londrinenses.

“Já temos crianças internadas.

Não dá pra esperar mais.

Entrei em contato com a assessoria do secretário Michele Caputo, que, aliás, demonstrou pouco saber sobre o caso.

Esperamos que estas famílias não tenham baixas por causa desta demora”, concluiu.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da assessoria do vereador Rony Alves (PTB-Londrina/PR) Foto: Divulgação