Roriz renuncia; Gim Argello assumirá nos próximos dias mandato de senador

PTB Notícias 4/07/2007, 21:59


Em nota lida pelo senador Mão Santa no Plenário do Senado na noite desta quarta-feira, 04, Joaquim Roriz (PMDB-DF) renunciou à seu mandato de senador.

A Mesa Diretora do Senado já havia decidido nesta quarta, por unanimidade, acatar a representação do P-SOL contra Roriz e encaminhou o processo ao Conselho de Ética da casa.

Roriz seria notificado esta semana, segundo presidente do conselho, Leomar Quintanilha (PMDB-TO).

Após a notificação, Roriz não poderia mais renunciar.

A partir da renúncia de Roriz, assumirá nos próximos dias o mandato de senador, para o período de 2007-2015, o 4º vice-presidente da Executiva Nacional do PTB, Gim Argello, que também é o presidente do Diretório do PTB no Distrito Federal.

A denúncia contra Roriz surgiu a partir da Operação Aquarela, da Polícia Civil do Distrito Federal, que prendeu várias pessoas envolvidas em desvio de recursos do BRB.

Ao mesmo tempo, a imprensa divulgou conversas gravadas pela polícia civil, com autorização da Justiça.

Numa delas, o senador combinava com o ex-presidente do banco o local onde seria feita a partilha de cerca de R$ 2,2 milhões.

Com a renúncia, Roriz evita o processo que, no limite, poderia cassar seu mandato e torná-lo inelegível até 2022 – quando terá 86 anos (ele completa 71 anos em agosto).

Renúncia em blocoRoriz tentou articular, até o último momento, apresentar um pedido de renúncia em bloco.

Ou seja, renunciariam ele, o primeiro suplente, Gim Argello, e o segundo, Marcos de Almeida Castro.

Caso a estratégia de Roriz desse certo, a renúncia em bloco abriria uma vaga de senador pelo Distrito Federal, já que não haveria substitutos para Roriz.

Com isso, a Justiça Eleitoral teria que convocar nova eleição no prazo de 90 dias.

A expectativa de Roriz era conseguir ser eleito novamente para o Senado.

No começo da noite, entretanto, Roriz decidiu renunciar sozinho.

Conheça Gim ArgelloFuturo senador pelo Distrito Federal, o ex-deputado distrital Gim Argello, participou nas últimas eleições da campanha ao Senado na chapa de Joaquim Roriz, como seu primeiro suplente.

Bacharel em Direito por uma faculdade particular regional (Fiplac), Gim Argello tem 44 anos e nasceu em São Vicente (SP).

Mudou-se ainda criança para Taguatinga, uma das principais cidades-satélites do Distrito Federal.

É casado e tem dois filhos.

Gim Argello já administrou empresas, foi por vários anos corretor de imóveis e é integrante do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci).

Argello iniciou sua trajetória na política do Distrito Federal desde quando participou da Juventude Democrática Social e da fundação do Partido da Frente Liberal (PFL) no DF, lutando pela emancipação política de Brasília.

Gim elegeu-se deputado distrital pela primeira vez em 1998, quando obteve 10.

345 votos.

Assumiu a Vice-Presidência da Câmara Legislativa do Distrito Federal de 1999 a 2000 e a Presidência da Casa de 2001 a 2002, ano em que foi reeleito deputado distrital com 17.

868 votos.

Ocupou novamente a Vice-Presidência de 2003 a 2004.

Em oito anos como parlamentar, Gim apresentou 2.

580 proposições e tem mais de 100 leis aprovadas.

O deputado Gim Argello destaca em sua carreira a data de 2 de março de 2005, quando filiou-se ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), tornando-se presidente regional no dia 15 do mesmo mês.

O ex-deputado distrital, a convite do então governador Joaquim Roriz, assumiu a Secretaria de Estado de Trabalho do Governo do DF.

À frente da Secretaria de Trabalho, Gim conseguiu reverter os índices de desemprego, alcançando a menor taxa desde 1997 e atingindo a meta de um milhão de pessoas ocupadas no DF.

Gim Argello deixou a Secretaria de Trabalho no dia 30 de março de 2006, retornando à Câmara Legislativa no dia 1º de abril, entrando assim na disputa para se reeleger deputado distrital.

Porém, recebeu convite do ex-governador Joaquim Roriz (hoje senador eleito) para participar de sua legenda como suplente de senador.

A partir dos próximos dias, Gim assumirá seu mandato, tornando-se o sexto senador do PTB nesta legislatura.

Agência Trabalhista de Notícias