RS: Ranolfo Vieira Júnior divulga indicadores criminais do mês de abril

Agência Trabalhista de Notícias 15/05/2020, 8:54


Imagem Crédito: Divulgação/SSP-RS

O vice-governador e secretário da Segurança Pública do Rio Grande do Sul, Ranolfo Vieira Júnior (PTB), divulgou na quinta-feira (14), em transmissão ao vivo pela internet, os indicadores criminais do estado referentes ao mês de abril, com análise sobre a influência do distanciamento social nos principais índices.

A combinação entre a necessária política de distanciamento social contra a propagação da Covid-19 e a manutenção integral do trabalho das forças da Secretaria da Segurança Pública fez o Rio Grande do Sul atingir novos recordes na redução de indicadores criminais. Em abril, com menos circulação de pessoas e a permanência das polícias nas ruas, houve queda de 90% nos ataques a banco no RS na comparação com o mesmo mês do ano passado.

Ocorreu apenas um caso, um furto cometido em Canoas no dia 5 de abril, enquanto em igual período de 2019 foram registradas 10 ocorrências contra estabelecimentos bancários, na soma entre furtos e roubos. Na comparação de acumulados entre os quatro primeiros meses deste ano e do anterior, as ações criminosas contra instituições financeiras diminuíram 60,5% – de 38 casos para 15.

Em Porto Alegre, o cenário é ainda mais positivo, com queda de 100%. A Capital encerrou o quarto mês consecutivo sem qualquer ocorrência de furto ou roubo contra estabelecimentos bancários. Desde janeiro, não há ataques a instituições financeiras na cidade, enquanto no mesmo intervalo de 2019 já haviam ocorrido 10 casos.

Infelizmente o mês de abril registrou um aumento significativo no número de feminicídios: foram 10 assassinatos de mulheres por motivação de gênero no Estado, um aumento de 66,7% em relação aos seis registrados no mesmo mês do ano passado.

“Reforçamos a importância para que qualquer ato de violência contra mulheres seja denunciado às forças de segurança. Nenhuma das 10 vítimas de feminicídio em abril havia feito registro de ocorrência anterior que possibilitasse a adoção de ações preventivas, como medidas protetivas de urgência”, afirmou Ranolfo Vieira Júnior.

Com informações da Secretaria da Segurança Pública – SSP/RS