RS: Ronaldo Santini participa de reunião sobre orçamento estadual e HPPs

PTB Notícias 3/02/2016, 6:40


Por solicitação do deputado estadual Ronaldo Santini (PTB), aconteceu nesta segunda-feira (1º/02), uma reunião na Secretaria Estadual da Saúde (SES), para tratar sobre a distribuição do orçamento estadual para custeio dos hospitais filantrópicos e os públicos de pequeno porte (HPPs).

Além do presidente da Frente Parlamentar de Apoio às Santas Casas e Hospitais Filantrópicos, o secretário João Gabbardo dos Reis recebeu, em seu gabinete, o deputado Sérgio Turra (PP), o presidente da Federação das Santas Casas, Francisco Ferrer, e o assessor técnico da Federação das Associações de Municípios do RS (FAMURS), Paulo Azeredo.

Santini entregou uma solicitação de esclarecimento quanto à aplicação do orçamento de 2016, no que diz respeito à emenda de R$ 297 milhões, aprovada pela Comissão de Finanças da Assembleia Legislativa, que somada a R$ 3 milhões apresentados pelo Executivo, correspondem aos R$ 300 milhões que devem ser destinados ao custeio das instituições filantrópicas de saúde e também aos HPPs municipais.

“Trata-se de uma emenda da Comissão que foi trabalhada juntamente com os técnicos da Secretaria do Planejamento e os deputados da base do governo”, disse.

Os deputados e os representantes das entidades ainda reivindicaram o pagamento dos recursos atrasados dos meses de novembro e dezembro de 2015, referentes a portas de entradas, que até esta data, não haviam sido depositados nas contas dos hospitais.

Citaram vários casos que chegaram aos seus gabinetes, sobre hospitais que estão com grandes dificuldades financeiras.

“Muitos já estão reduzindo serviços e demitindo funcionários, preocupados com a possibilidade de aumentos salariais, por conta do discídio da categoria dos profissionais de saúde, previsto para abril.

Há possibilidade, inclusive de fechamento de algumas casas de saúde.

Isso provoca ambulancioterapia e filas intermináveis nos grandes hospitais”, disse Santini.

Gabbardo, que estava acompanhado de técnicos da sua secretaria e da Fazenda do Estado, disse que precisa esclarecer melhor a origem do recurso, pois não há como contemplar este montante dentro dos 12%, estabelecidos por Lei.

Ficou estabelecido então que, por intermediação de Santini, será agendada uma nova reunião, para discussão do tema com participação de todos os envolvidos com a construção da emenda para rediscutir a questão, buscando uma maneira de contemplar a proposta.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da assessoria da bancada do PTB na Assembleia Legislativa do Rio Grande do SulFoto: Andreia Lermen/Assessoria