Sandra Beatriz Silveira fala da importância do papel feminino na sociedade

PTB Notícias 21/03/2010, 12:54


Leia abaixo comentário da diretora da Secretaria de Turismo, Espoorte e Lazer do governo do Rio Grande do Sul e 3ª Secretária da Executiva Nacional do PTB Mulher, Sandra Beatriz Silveira:”Foi necessário que um grupo de 130 tecelãs perecessem queimadas na fábrica onde trabalhavam, em 08 de março de l857, em Nova York, para que o mundo oficializasse, apenas em 1975, esta data como Dia Internacional da Mulher.

Nós, mulheres, não precisamos que seja estabelecida uma data específica para ser comemorada.

Precisamos sim, que seja discutido e redefinido o papel da mulher na sociedade atual, na qual continuamos sendo queimadas com a desigualdade de salários, o preconceito e a violência masculina, as jornadas excessivas de trabalho que não acabam na empresa.

Mulheres também são mães e como tais, continuamos nosso trabalho no lar.

Em l857, elas trabalhavam 16 horas diárias e ganhavam apenas um terço do que recebiam os homens.

Hoje conseguimos mudar algumas coisas, mas ainda é muito pouco pelo papel que a mulher representa.

Não precisamos ser feministas, mas continuarmos femininas, visto que nossa força reside justamente no fato de ser mulher.

Nos chamam de sexo frágil, mas será isto uma verdade? Somos nós que damos a luz, temos vida e geramos vida.

Brigamos por aquilo em que acreditamos, levantamo-nos para a injustiça e não acreditamos que não exista uma solução melhor para o nosso mundo.

Nós, mulheres-mães, andaríamos descalças para que nossos filhos estivessem calçados.

De nosso ventre nascem líderes e com nosso amor impulsionamos heróis para a vida.

Transformamos a rotina em uma sucessão de novidades e descobertas, pois temos de variar cardápios, criar receitas e alimentar aqueles que amamos.

Mesmo frágeis somos fortes e nunca desistimos de nossos sonhos.

Em 1932, foi dado um grande passo no Brasil, pois ganhamos direito ao voto e com isso, a condição de mudar.

Em 1933, elegemos Carlota Queirós como a primeira deputada federal brasileira e, de lá para cá, tomamos consciência de nosso poder.

Lembro com carinho e cito palavras de uma das mulheres mais fortes do mundo, Madre Teresa de Calcutá: “Se houvesse pobres na lua, iríamos até lá.

O que conta não é o que fazemos, mas o amor que colocamos no que fazemos, e se não pudermos fazer grandes coisas, façamos pequenas coisas com amor.

” Falo hoje como mulher e mãe, que educou e deu segurança aos seus e espera fazer o mesmo por todos.

Se uma mulher sem filhos biológicos como Madre Tereza conseguiu, pela sua fé e pelo seu amor, transformar-se na mãe mais fecunda do mundo, cabe a cada uma de nós fazer a nossa parte.

Quero lembrar quem somos: mulheres em tempo integral.

Temos de enfrentar os desafios, aproveitar as oportunidades e lutarmos para que nossos sonhos virem realidade.

Contem comigo para esta caminhada.

“* Fonte: Agência Trabalhista de Notícias com Informações do Site da Sandra Beatriz