Santini reúne Famurs e Federação das Santas Casas e define agenda

PTB Notícias 20/01/2016, 21:15


Por iniciativa do presidente em exercício da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, deputado Ronaldo Santini (PTB), ocorreu nesta terça-feira (19/01/2016)), uma reunião entre a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) e a Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos do RS.

As entidades definiram que passarão a tratar de forma conjunta com os governos estadual e federal a questão dos repasses de recursos para o setor hospitalar.

O encontro foi realizado na sala da presidência do legislativo estadual com a presença dos dirigentes das duas entidades.

O parlamentar foi o responsável pela realização da agenda e salientou sua preocupação com a dramática crise financeira que vivem os hospitais gaúchos que atendem a população pelo Sistema Único de Saúde (SUS), em especial os de pequeno porte, ou seja, com menos de 50 leitos e que estão instalados no interior do Estado.

“Não importa se são hospitais públicos ou filantrópicos.

Não podemos deixar que fechem as portas e deixem os doentes por conta da tortura da ambulancioterapia.

Para isso, a união de forças dessas duas entidades é fundamental, pois lutam com o mesmo propósito: a preservação das vidas das pessoas”, destacou Santini, que também lidera da Frente Parlamentar de Apoio às Santas Casas e Hospitais Filantrópicos.

O presidente da Famurs, o prefeito de Candiota, Luiz Carlos Folador, observou que a entidade luta pela manutenção dos blocos cirúrgicos para pequenas cirurgias.

“As péssimas condições das rodovias e a distância para os grandes centros especializados aumentam ainda mais o sofrimento dos pacientes e as despesas de transporte.

Fechar pequenos hospitais não é a melhor forma de o Estado resolver o problema da saúde”, comentou.

Ele estava acompanhado do presidente da Comissão de Municípios com Hospitais de Pequeno Porte (HPP), o prefeito de Chiapeta, Osmar Kuhn, que salientou a construção de agendas conjuntas, com ações positivas que possam ser levadas ao governo do Estado e à União, como sugestão de enfrentamento da crise.

“Estas medidas precisam priorizar a humanização do atendimento”, acrescentou.

Ao parabenizar o parlamento, através do deputado Santini, pela iniciativa, o presidente da Federação das Santas Casas, Francisco Ferrer, observou a convergência de interesses das duas representações.

Mas, segundo ele, as perspectivas são pouco animadoras.

O dirigente ressaltou que o orçamento federal para a saúde sofreu um corte de R$ 11 bilhões, o que está resultando na redução drástica de serviços hospitalares.

Juntos, os hospitais municipais e filantrópicos representam 77% dos atendimentos via SUS no RS.

Ferrer explicou que o não pagamento dos incentivos, tanto o IAC federal quanto o IHOSP estadual, está causando um transtorno irreparável no segmento hospitalar.

“Aqui no Estado, o prejuízo é de R$ 300 milhões, dinheiro que que seria aplicado em atendimentos de baixa e média complexidade, sendo que grande parte desses procedimentos se dá em HPPs.

Obviamente, os municípios foram obrigados a aumentar sua parcela de contribuição neste processo”, disse.

O próximo passo será a realização de uma reunião técnica entre as duas entidades para definir as ações a serem apresentadas.

Diante de um um déficit financeiro de R$ 1,4 bilhões, apresentado pelos hospitais, uma das pautas a serem sugeridas ao governo federal deverá ser a busca por um financiamento junto à instituições financeiras, como forma de salvar os hospitais.

A defesa do pagamento, por parte do Executivo estadual, dos R$ 297 milhões, aprovados pelo legislativo no orçamento estadual, sugeridos por emenda de Santini, será outra demanda integrante da agenda conjunta.

Folador reforçou o convite a Santini e Ferrer para participarem da abertura da Assembleia de Verão da Famurs, no dia 27 de janeiro, em Torres, onde o tema poderá ser debatido com os prefeitos.

fonte: site do deputado Ronaldo Santini (PTB-RS)