Santo André protocola proposta de Plano Urbanístico do Parque Tecnológico

PTB Notícias 2/06/2010, 8:39


A Prefeitura de Santo André, administrada pelo petebista Aidan Ravin, acaba de dar mais um passo na direção da implementação de seu Parque Tecnológico.

Após ter obtido o credenciamento da iniciativa junto ao Sistema Paulista de Parques Tecnológicos (SPTEC) do Governo do Estado, em 31 de março, o município acaba de protocolar proposta técnico-financeira do Plano Urbanístico Básico na sede da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico.

Trata-se de uma proposição voltada à busca de recursos estaduais para a realização de estudos detalhados que vão nortear a ocupação do Parque Tecnológico andreense, contemplado em duas áreas: uma de 270 mil metros quadrados na margem da Avenida dos Estados, próximo ao trecho sul do Rodoanel, e outra de aproximadamente 815 mil metros quadrados na região do Parque Andreense.

“Após a liberação dos recursos por parte do governo estadual, o próximo passo será a realização de licitação para contratação da empresa que realizará o Plano Urbanístico Básico”, explica Zoraia Fernandes Berber, diretora do Departamento de Desenvolvimento Econômico (DESEN) da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho (SDET) de Santo André.

Segundo André Zoboli, assistente de direção do DESEN, o governo paulista deve dar um parecer sobre a liberação dos recursos neste mês de junho.

Ele explica ainda que o Plano Urbanístico Básico deve ser elaborado no prazo de seis meses por empresa especializada, a partir da data de sua contratação.

EstudosO plano será composto de estudos que devem esmiuçar aspectos como uso do solo, logística, sistema viário, infraestrutura, meio ambiente e implementação jurídico-institucional, com vista à elaboração de diretrizes que nortearão a ocupação por empresas de base tecnológica e incubadoras.

Também estão previstas atividades de suporte e infraestrutura de equipamentos e serviços.

A possibilidade de obter recursos estaduais é resultado do credenciamento do projeto andreense no Sistema Paulista de Parques Tecnológicos (SPTEC), em 31 de março, durante cerimônia que teve a presença do então secretário estadual de Desenvolvimento, Geraldo Alckmin, no Teatro Municipal.

“O credenciamento habilitou Santo André a receber recursos do governo estadual mediante a apresentação de projetos como o do Plano Urbanístico Básico”, afirma Zoboli.

HistóricoAté chegar ao credenciamento no Sistema Paulista, a Prefeitura de Santo André percorreu longo caminho iniciado em meados do ano passado.

Em julho de 2009, a equipe da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho iniciou a busca por informações e referências sobre o assunto, inclusive com visitas a algumas das iniciativas-modelo no país, casos do Porto Digital de Recife e dos Parques Tecnológicos de São José dos Campos e São Carlos, no Interior Paulista, Vale dos Sinos (RGS) e Florianópolis (SC).

Em outubro de 2009, a SDET deu caráter documental ao anseio pelo Parque Tecnológico com a entrega de dossiê ao Governo do Estado, no qual constavam as possibilidades de Santo André para a viabilização da empreitada.

Entre estas possibilidades figuram, por exemplo, a existência de 14 instituições de ensino superior no território municipal e o fato de Santo André ostentar o quinto potencial de consumo do Estado, e o 17º do País.

Os trabalhos foram complementados por ações junto ao governo estadual.

O prefeito Dr.

Aidan Ravin (PTB) e o então secretário de Gabinete e atual chefe da Pasta de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Beto Torrado, dirigiram-se por diversas vezes até a sede da Secretaria de Desenvolvimento paulista a fim de trazer o Parque Tecnológico para Santo André.

SinergiaHouve também a arregimentação dos atores locais, no trabalho conhecido como Grupo de Sinergia.

Desenvolvido pela Secretaria de Administração e Modernização, em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, a iniciativa reúne periodicamente representantes de entidades, universidades e empresas a fim de buscar soluções para o fortalecimento das principais cadeias produtivas de Santo André, casos dos setores metalmecânico, químico/petroquímico/plástico e de borracha.

Desde o início da atual gestão no município foram realizadas mais de 15 reuniões com a participação de representantes do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e das universidades UFABC, UNIABC e Fundação Santo André.

Representantes da Secretaria Estadual de Desenvolvimento conheceram de perto o trabalho do Grupo de Sinergia em janeiro deste ano.

O coordenador de Ciência e Tecnologia, Pedro Bombonato, sua assessora técnica Margareth Leal e outros membros da pasta participaram de workshop sobre alternativas de desenvolvimento econômico para Santo André, promovido pelas secretarias de Administração e Desenvolvimento Econômico.

O evento foi realizado na Sabina Escola Parque do Conhecimento, e contou com a participação de representantes do Ciesp, Senai, Caixa Econômica Federal, UFABC, UNIABC, Fundação Santo André, e de grandes empresas.

* Agência Trabalhista de Notícias com informações do Repórter Diário