Schneiders quer guarda-volumes para evitar constrangimentos em bancos

PTB Notícias 16/09/2013, 8:54


O vereador Elo Ari Schneiders (PTB) quer evitar que cidadãos de Santa Cruz do Sul (RS) passem por situações de constrangimento ao serem barrados em portas detectoras de metal na entrada dos bancos.

Para isso, formulou um projeto de lei que pretende obrigar as agências locais a disponibilizarem guarda-volumes em seus estabelecimentos, de forma gratuita para os clientes.

O PL 28/L/2013 entra em tramitação na Câmara Municipal nesta segunda-feira (16/9/2013).

O projeto leva em conta, afirma Schneiders, que muitas pessoas levam um longo tempo nas portas com detectores de metais, quando se veem obrigadas a provar que não possuem objetos suspeitos, mediante o esvaziamento de bolsas e mochilas para mostrar seus pertences aos seguranças do banco.

“Isso causa constrangimentos e situações vexatórias”, entende.

Medidas semelhantes já foram adotadas em outros municípios brasileiros.

Para ele, é necessário que o usuário dos bancos seja mais respeitado, recebendo um tratamento digno.

O vereador lembra que há um volume grande de processos judiciais contra agências, movidos por clientes que alegam ter sido constrangidos em situações desse tipo.

“Com este projeto de lei, estamos, inclusive, evitando para essas instituições sérias demandas judiciais objetivando ressarcimentos por danos morais”, argumenta.

Saiba maisO projeto estipula que os guarda-volumes sejam instalados na sala de entrada das agências, em número compatível com a circulação média, para que o usuário possa depositar seus pertences antes de passar pela porta detectora de metais.

Regra ainda que cada pessoa possa ficar com uma chave do respectivo armário enquanto permanecer no estabelecimento e que o acesso aos compartimentos deva ser garantido a todos de forma gratuita, sendo vedada a exclusividade para correntistas.

O texto determina também o tamanho mínimo dos espaços individuais e as penas no caso de não cumprimento das medidas pelos bancos, iniciando por advertência e seguindo, em casos de reincidência, com multa, suspensão e cassação do alvará de funcionamento.

“É uma iniciativa que busca mais segurança, conforto, respeito e humanização nos bancos de Santa Cruz”, conclui.

* Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da assessoria da Câmara Municipal de Santa Cruz do Sul