Secretário anuncia que trem fará turismo de um dia entre SP e Jundiaí

PTB Notícias 24/04/2009, 10:55


Os paulistanos terão uma nova opção de turismo de um dia.

Partindo da Estação da Luz, o trem Expresso Turístico transportará passageiros de São Paulo a Jundiaí.

O passeio ocorrerá aos sábados e os turistas poderão passar a tarde em um dos três roteiros da região: o cultural, o ecológico ou o circuito das frutas.

Com traje apropriado à composição dos anos 50, caberá a chefes de trem, como Cristiane Aparecida Felipe, receber os passageiros.

Em cada vagão, trabalham dois monitores, um chefe de trem e um segurança.

Todos já eram funcionários da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e se candidataram à vaga.

“Fomos treinados por dois dias.

Aprendemos a receber os passageiros.

Aos sábados, teremos essa nova função”, disse o chefe de trem Lélio Oliveira.

Durante a viagem, os monitores contam histórias sobre as estações e regiões por onde a composição passa.

A passagem custará R$ 28, ida e volta.

Para grupos de até quatro pessoas haverá desconto de 50% para o segundo, o terceiro e o quarto bilhetes.

Em Jundiaí, os turistas que optarem pelos roteiros terão de contratar os serviços de uma agência de turismo.

Cada um custa em torno de R$ 40.

Segundo o secretário estadual de Esporte, Lazer e Turismo, Claury Santos Alves da Silva (PTB/SP), o projeto visa a aproximar o turismo rural dos paulistanos.

“Pretendemos transformar o das frutas em um dos melhores circuitos rurais do Brasil”, diz.

De acordo com o secretário adjunto dos Transportes Metropolitanos, João Paulo de Jesus Lopes, o interesse em levar turismo a Jundiaí e a disponibilidade de linhas nos fins de semana foram os fatores que motivaram o projeto.

“Como o número de usuários aos sábados é menor, podemos utilizar a estrutura que temos com outro tipo de operação”, diz.

Duas locomotivas a diesel de 1952 foram restauradas pela CPTM.

Com 28 metros de comprimento e 2,70 metros de largura, os dois vagões da locomotiva acomodam 174 pessoas.

“Aproveitamos tudo o que tínhamos.

Por isso, o investimento total do projeto é de apenas R$ 100 mil”, afirma.

O trajeto de 61 km inclui as 15 estações da atual Linha 7-Rubi, sem parada, em uma hora e meia.

O trecho corresponde à primeira ferrovia de São Paulo, que ligava Santos a Jundiaí.

Ela era utilizada para transportar o café produzido no interior até o Porto de Santos.

Até junho, o mesmo projeto será implementado em Mogi das Cruzes.

“Também haverá três roteiros: o circuito das flores, ecológico e cultural”, explicou Jesus Lopes.

Em Paranapiacaba, distrito de Santo André, as operações devem começar em agosto.

“Como parte do trecho da linha não é da CPTM, estamos acertando com a concessionária MRS para fazer um roteiro aos domingos”.

Agência Trabalhista de Notícias (com informações do Repórter Diário)