Selo instituído por Arlen Santiago reconhece uso racional de água potável em Minas Gerais

Agência Trabalhista de Notícias 13/08/2019, 9:54


Imagem Crédito: Guilherme Dardanhan/ALMG

Entrou em vigor no sábado (10), quando foi publicada no Diário Oficial de Minas Gerais, a Lei 23.371, de 2019, que dispõe sobre a criação do Selo Azul de controle e redução do consumo de água potável para os municípios mineiros. A norma tramitou na Assembleia Legislativa de Minas Gerais como projeto de lei 305/15, de autoria do deputado Arlen Santiago (PTB).

O texto prevê a concessão do Selo Azul aos municípios que atenderem à redução de consumo e das perdas nos sistemas de abastecimento de água. O selo reconhecerá a eficiência do sistema de abastecimento e o uso racional da água. Os critérios para a concessão dessa distinção, bem como a sua periodicidade e os casos de sua revogação, serão estabelecidos em regulamento.

A matéria também estabelece que o Estado manterá rede integrada de informações sobre o sistema de abastecimento de água nos municípios e promoverá ampla divulgação do Selo Azul nos meios de comunicação.

Com informações da Assembleia Legislativa de Minas Gerais