Seminário proposto por Pio Netto discute segurança pública em Belém

PTB Notícias 22/06/2012, 5:30


Retirar Belém (PA) do ranking das dez cidades mais violentas do mundo, com menos violência e mais prevenção.

Esse foi o objetivo do II Seminário Municipal de Segurança Pública e Defesa Social, realizado nesta quinta-feira (21/06), na Câmara de Vereadores.

O evento, proposto pelo vereador Pio Neto (PTB), contou com a participação secretário estadual de Segurança Pública, Luiz Fernandes; promotor de Direitos Humanos do Ministério Público do Estado, Aldir Viana; Paulo Passos, do Observatório Social de Belém e representantes de movimentos sociais, como Movida e Umari.

O vereador, membro da Comissão de Justiça da Câmara Municipal de Belém e propositor do seminário, Pio Neto (PTB), abriu o evento falando ser imprescindível hoje a interação entre os órgãos públicos de segurança pública e a comunidade, representada por entidades, para que se encontre soluções para combater a violência.

“E a Câmara de Vereadores é sim o foro ideal para essa aproximação entre a sociedade civil, que está ansiosa por políticas públicas de prevenção à criminalidade, que infelizmente tornou Belém uma das cidades mais violentas do Brasil”, disse Pio Netto.

Márcia Sarkis, da Associação dos Empresários, Moradores e Amigos do bairro do Umarizal, disse que já chegou e muito a hora de Estado e Município se unirem para que a capital seja menos violenta.

“Precisamos de educação de qualidade para a juventude, uma educação capaz de ocupar o dia de crianças e adolescentes para que no futuro possam ser cidadãos de fato”, afirmou.

Iranilde Russo, do Movimento pela Vida – MOVIDA, acrescentou que é preciso que os parlamentares “criem leis que possam garantir a prevenção, sem esperar por leis estaduais ou federais”.

O secretário de Segurança Pública, Luiz Fernandes, disse que o Governo do Estado está investindo na prevenção e na repressão à criminalidade, porque investimento nessa área nunca pode parar.

“Sabemos que a tarefa não é fácil, mas não recuaremos um centímetro para que Belém e o Pará como um todo deixem de ser apontados como violentos”, disse Luiz Fernandes.

Agência Trabalhista de Notícias (LL) com informações do Portal da Câmara Municipal de Belém