Senado pode aprovar plebiscito para decidir sobre divisão do Piauí

PTB Notícias 6/01/2012, 9:23


Depois de um plebiscito, em 2011, que definiu a manutenção da unidade do Estado do Pará, o Senado poderá aprovar neste ano de 2012 um novo plebiscito, dessa vez para decidir sobre a divisão do Estado do Piauí.

O projeto foi apresentado na Casa pelo senador piauiense João Vicente Claudino, presidente do Diretório Estadual do PTB no Piauí.

O texto está pronto para votação na Comissão de Constituição e Justiça do Senado e tem parecer favorável do relator, o senador Cid Nogueira, do PP do Piauí.

De acordo com o projeto elaborado por João Vicente Claudino, a população do estado deve escolher, em plebiscito, se aceita a divisão de seu território em dois, criando assim o estado da Gurgueia.

A nova unidade abrigaria 155 mil quilômetros quadrados, cerca de 62 por cento da área do estado atual e pouco mais de um quinto da população.

Para o autor do projeto, senador João Vicente Claudino, do PTB do Piauí, o abandono da região sul do estado justifica a proposta.

Ele lembra que hoje não há sequer energia elétrica suficiente para sustentar um projeto de irrigação com cinco mil hectares.

João Vicente Claudino acredita que um novo centro administrativo poderia levar o progresso para a região.

“Quanto mais próximo um governo estiver do povo que espera a presença do estado resoluto nas suas ações de governo, mais eficiente é esse trabalho desse governo.

E a região que se pretende emancipar é justamente uma região que deseja essa emancipação por falta de investimento público”, disse o senador petebista.

João Vicente Claudino acha que, diferente do Pará, onde a população optou pela manutenção da unidade federativa, no Piauí seria mais fácil convencer o eleitor a votar pela divisão.

Isso porque, segundo o senador, não há grandes indústrias ou arrecadação na área escolhida para abrigar o estado da Gurgueia.

Caso o projeto seja aprovado na Comissão de Constituição e Justiça, o próximo passo será a votação em plenário.

Agência Trabalhista de Notícias (ELM), com informações da Rádio Senado