Senador Armando pede reforço das Forças Armadas e da inteligência policial

PTB Notícias 10/11/2011, 11:01


O senador Armando Monteiro, do PTB de Pernambuco, apresentou nesta quarta-feira (09/11/2011) sugestões para melhorar a segurança pública no país.

Ele defendeu uma maior participação do Congresso Nacional na discussão desses aprimoramentos, principalmente na reforma do Código Penal, tarefa delegada a comissão de juristas instalada recentemente pelo Senado.

O parlamentar lamentou que outras tentativas de atualizar o Código Penal não tenham prosperado.

Para exemplificar a obsolescência do código, disse ser necessário tipificar o crime organizado, cujas penas devem ser diferenciadas das do crime de formação de quadrilha.

O petebista disse que levará à Subcomissão Permanente de Segurança Pública a proposta de criar uma comissão específica para acompanhar as ações das Forças Armadas em segurança pública.

Armando ressaltou que os militares tiveram um “papel vital” na ocupação de áreas dominadas pelo tráfico de drogas no Rio de Janeiro.

O senador alertou, entretanto, que, para aumentar o poder de polícia das Forças Armadas, é preciso reforçar o papel do Congresso Nacional, e particularmente do Senado, na fiscalização de suas ações na segurança pública, além de criar um canal de diálogo e de acompanhamento dessas ações.

O senador sugeriu o aprimoramento do sistema de inteligência policial no combate ao crime organizado e ações coordenadas das Forças Armadas, da Polícia Federal, da Força Nacional e da Polícia Rodoviária Federal nas fronteiras brasileiras, principalmente na repressão ao tráfico de drogas.

Propôs ainda que o governo federal apoie a criação de escolas regionais para a formação de policiais.

Armando Monteiro citou dados do Mapa da Violência 2011, do Ministério da Justiça, segundo o qual o Brasil, com 3% população mundial, é palco de 12% dos homicídios cometidos no mundo.

Mencionou ainda números do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que apontam um aumento de 32% da taxa de homicídios no país nos últimos 15 anos.

Segundo ele, no entanto, há melhorias, como em Pernambuco, que, depois de 14 anos, deixou de liderar o grupo de estados mais violentos do país.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da Agência SenadoFoto: Waldemir Barreto/Agência Senado