Senador Collor apresenta requerimento que prevê a realização de painéis

PTB Notícias 1/03/2011, 17:50


A partir de 11 de abril e, durante um ano, a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) promoverá 25 painéis sobre a nova ordem global.

É o que estabelece requerimento aprovado nesta terça-feira (1º) pela comissão.

Apresentado pelo senador Fernando Collor (PTB-AL), presidente do colegiado, o requerimento prevê a realização de debates sobre o “panorama geopolítico mundial e as perspectivas para a próxima década, especialmente no que tange à política externa, à segurança internacional e defesa nacional e ao sistema de atividades de inteligência”.

O primeiro tema a ser tratado no ciclo de debates, segundo adiantou o presidente da comissão, será a crise política que atinge o Oriente Médio.

Ao apresentar seu requerimento, ele afirmou considerar necessário analisar os impactos sobre a economia brasileira e mundial dos possíveis aumentos de preços de petróleo derivados do aumento da instabilidade na região.

– Essa onda de instabilidade provoca uma série de indagações.

Os serviços de informações teriam sido surpreendidos pelas manifestações? A capacidade de resposta dos governos foi prejudicada pela falta de informações adequadas? Quais as consequências dessa crise em termos energéticos? Essas questões podem ser abordadas no ciclo de audiências públicas por professores universitários, especialistas em Relações Internacionais, Economia e Defesa, por representantes do meio empresarial, da imprensa e de missões diplomáticas.

Essa agenda ajudará a comissão a ter melhor visão de temas internacionais – afirmou Collor.

Antes da votação do requerimento, três senadores já apresentaram sugestões de temas a serem abordados durante os painéis.

O senador Randolfe Rodrigues (PSol-AP) propôs a realização de um debate sobre as fronteiras brasileiras, especialmente a de seu estado, o Amapá, com a Guiana Francesa – que, como lembrou, é parte integrante da Europa.

Por sua vez, o senador Luiz Henrique (PMDB-SC) pediu a inclusão entre os futuros debatedores do brasilianista Albert Fishlow, da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, que estará no Brasil neste ano para o lançamento de seu mais recente livro.

E o senador Jorge Viana (PT-AC) sugeriu um debate sobre a presença de refugiados haitianos no Acre.

Autorização A comissão também aprovou o Requerimento 67/11, por meio do qual a senadora Lídice da Mata (PSB-BA) solicita autorização para representar o Senado na feira de turismo ITB Berlin 2011, entre os dias 8 e 14 de março.

O requerimento obteve o voto favorável de seu relator ad hoc, senador Vital do Rego (PMDB-PB), que ressaltou a presença no evento de representantes de 11 estados brasileiros, inclusive a Bahia, estado de origem da senadora.

Ao concordar com a autorização, o senador Pedro Simon (PMDB-RS) considerou o debate a respeito da autorização de viagem um “fato novo” no Senado.

Ele lamentou que, no passado, parlamentares convidados a participar de reuniões da Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) tenham aproveitado a viagem para “fazer turismo” em Nova York, onde se encontra a sede da organização.

A pedido do senador Eduardo Suplicy (PT-SP), foi adiada para a próxima reunião da comissão, na quinta-feira (3), a votação de três propostas de atos que alterarão as normas de funcionamento do colegiado, inclusive no que se refere à aprovação de novos embaixadores.

Collor designou a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) como relatora das propostas e das emendas apresentadas pelos senadores.

Embaixadores Durante a reunião, foram lidos os relatórios dos senadores Gim Argello (PTB-DF) e Valdir Raupp (PMDB-RO) sobre as mensagens presidenciais de indicação dos novos embaixadores brasileiros na Bélgica e na África do Sul, respectivamente André Mattoso Maia Amado e Pedro Luiz Carneiro de Mendonça.

Collor concedeu vista coletiva das proposições e marcou a votação das mensagens para a próxima reunião.

Agência trabalhista de Notícias (PB), com informações da Agência Senado