Senador Collor e a deputada Célia Rocha estiveram com ministro Padilha

PTB Notícias 17/05/2012, 14:24


O Senador Fernando Collor (PTB) e a Deputada Federal Célia Rocha (PTB) estiveram na tarde de ontem, 16/05/2012, com o Ministro da Saúde-MS, Alexandre Padilha.

Os Parlamentares foram solicitar a atenção do Ministro quanto à liberação das emendas indicadas por Célia Rocha, no valor de 5.

927 milhões que devem ser aplicadas na saúde para a região do Agreste Alagoano.

Outra solicitação importante foi à implantação de um Laboratório Fitoterápico em Arapiraca.

Padilha se propôs a colaborar para que as solicitações de Célia e Collor sejam de fato concretizadas.

Aproveitou o Ministro e disse que outras ações do MS devem ser anunciadas ainda este ano, mas não as citou.

“Temos que estar atentos aos anúncios do MS, pois diante a tantos problemas e dificuldades pelos quais passa a saúde no Brasil, necessitamos de alternativas para se trabalhar os serviços prestados com mais eficácia.

Quanto ao laboratório fitoterápico, é muito importante que seja implantado.

Ofertar produtos que traga qualidade de vida para os doentes nunca é demais”, disse a Deputada Célia Rocha.

Informações sobre Medicamentos Fitoterápicos: Medicamentos fitoterápicos englobam o uso do extrato das plantas elaborado por técnicas de farmácia, além de serem produtos industrializados.

Um fitoterápico pode ser definido como um medicamento (obtido pela tecnologia farmacêutica e industrializado) de origem vegetal (fitomedicamento) caracterizado por apresentar várias substâncias qúimicas (fitoquímicos) responsáveis pelos efeitos terapêuticos eou colaterais (também).

Esta definição se opõe a de um medicamento não-fitoterápico cuja origem do(s) princípio(s) ativo(s) não é(são) exclusivamente vegetal(is) além de ser variada (ex: anti-histamínicos, antitérmicos e vitamina C todos juntos em comprimidos antigripais).

Assim como outros medicamentos, os fitoterápicos quando utilizados de forma incorreta podem proporcionar problemas de saúde.

Regulamentação: Resolução da Anvisa em vigor desde 10 de março de 2010 padroniza regras para comercialização.

Cada produto deve indicar para o que serve e seus possíveis efeitos colaterais.

Dados que devem ser informados em folheto na embalagem ou no invólucro da planta.

Ivana Souza – Agência Trabalhista de Notícias, com informações da assessoria de imprensa da deputada Célia Rocha