Senador Fernando Collor alerta para deterioração da economia argentina

PTB Notícias 28/11/2013, 9:16


Ao abrir a reunião da Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) na quarta-feira (27/11/2013), o senador Fernando Collor (PTB-AL) chamou atenção para o “período de deterioração” pelo qual passa a economia argentina, que, segundo ele, sofre com baixo crescimento, aumento da inflação e dificuldades cambiais.

Segundo o presidente da CI, ao reassumir suas atividades depois de mais de um mês afastada por razões de saúde, a presidente Cristina Kirchner reafirmou a continuidade de uma política econômica com orientação intervencionista, que tem trazido dificuldades para o país.

“Além das interferências na área do comércio exterior e no câmbio, o governo argentino tem reestatizado várias empresas”, observou o senador.

Fernando Collor afirmou que setores da oposição têm acusado o governo de manipulação das taxas de inflação.

Além disso, os subsídios concedidos aos setores de eletricidade, gás e transporte público, assim como as tentativas de controle de preços, não têm funcionado como ressaltou o senador.

PrivatizaçõesO presidente da Comissão de Infraestrutura também abordou a realização dos leilões de rodovias e o processo de privatização dos aeroportos de Confins (MG) e do Galeão (RJ).

Na manhã de quarta-feira, a Odebrecht arrematou a concessão de um trecho de 850 quilômetros da BR-163, em Mato Grosso, por onde passa boa parte dos grãos produzidos no estado.

A empresa ofereceu proposta de tarifa de pedágio 52% abaixo do previsto pelo governo, que era de R$ 5,50 por 100 km.

“Segundo o ministro dos Transportes, César Borges, o governo quer licitar, até o fim do ano, outras três rodovias que, somadas à BR-050, em Goiás, já leiloada, deverão resultar em investimentos de R$ 27,8 bilhões”, afirmou.

Em relação aos aeroportos, disse Collor, especialistas do setor acreditam que a modernização e melhorias esperadas nos terminais privatizados deverão aumentar a pressão por novas privatizações e também por mudanças na Infraero.

* Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da Agência SenadoFoto: Marcos Oliveira/Agência Senado