Senador petebista fala de sua preocupação com energia precária no Piauí

PTB Notícias 8/01/2008, 9:17


O Índice de Competitividade dos Estados, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aponta que o Piauí é o 25º Estado brasileiro com capacidade para atrair investimentos.

O principal motivo que deixa o Piauí entre as últimas opções para instalações de empresas é a precariedade na produção e distribuição de energia elétrica.

Em entrevista ao jornal Diário do Povo, o senador petebista João Vicente Claudino disse que o Piauí está sendo prejudicado pela falta de investimentos no setor.

“Se você pegar o índice de competitividade divulgado pelo IBGE, o Piauí está em 25º lugar.

Qual era o ponto de estrangulamento principal? A energia elétrica.

Não há desenvolvimento, não há transformação de produção agrícola, da instalação de empresas, qualidade de vida, sem energia elétrica”, criticou o parlamentar.

Proprietário de um dos maiores grupos empresariais do País, João Vicente tem acompanhado na prática a fuga de empreendedores em busca de outros estados.

Segundo ele, apesar do Piauí oferecer condições naturais favoráveis, a infra-estrutura atrapalha os investimentos.

“Eu tenho amigos empresários que já tiveram projetos de se instalar no Piauí, mas não se instalaram ainda porque os municípios que eles querem instalar às indústrias, principalmente ali na região de Picos, Valença, não tem carga elétrica para novos empreendimentos”, contou o petebista.

Nem mesmo os incentivos fiscais milionários tem sanado a deficiência da falta de energia elétrica.

“Eles (empresários) estão querendo vir, porque aqui tem os que eles precisam, tem matéria-prima, tem o apoio do governo, seja estadual ou municipal, tem a mão-de-obra que conhece a transformação do produto”, continuou João Vicente.

A expansão da energia elétrica com o Programa Luz Para Todos não foi possível no tempo programado pelo governo, para o senador João Vicente o problema foi de gerenciamento, porém o parlamentar tira a responsabilidade do governo do Estado.

“O que acontece é o problema no gerenciamento e o gerenciamento é feito por quem está aqui.

A Cepisa não é do governo do Estado, ela tem uma gestão própria”, argumentou.

“Isso (a energia) é um ponto importante para a geração de renda, para o desenvolvimento do Estado, isso é imprescindível e lamentamos porque o problema não tem sido resolvido”, completou o senador João Vicente Claudino.

fonte: Jornal Diário do Povo (PI)