Sérgio Zambiasi nega que tenha sido favorecido por atos secretos

PTB Notícias 26/06/2009, 12:52


Em pronunciamento nesta quinta-feira (25/6), o senador Sérgio Zambiasi (PTB-RS) disse ter obtido informações do Senado que garantem que ele não foi beneficiado com a existência de atos secretos, conforme o que foi publicado pela imprensa.

Sérgio Zambiasi explicou que o Boletim Administrativo de Pessoal relativo à nomeação e exoneração de servidores de seu gabinete, no início da legislatura, embora tenha sido identificado como não publicado, sempre existiu e gerou efeitos legais aos servidores nomeados por ele.

O senador pelo Rio Grande do Sul lembrou que integrou a Mesa nos anos de 2003 a 2004.

Nesse período, segundo ele, muitos atos foram elaborados e consta que quatro não foram publicados, alguns sem praticamente nenhum efeito, a exemplo do que designa o senador Pedro Simon (PMDB-RS) para a comissão que organizou as comemorações dos 180 anos do Senado, que também contou com a participação de Zambiasi, embora não tenha sido nomeado para tal.

Para não prejudicar servidores que atualmente se encontram em atividade, Sérgio Zambiasi defendeu ainda a extinção, pela próxima Mesa, de 11 cargos comissionados de assessor parlamentar e 14 de assessor técnico na estrutura do órgão central de coordenação e execução, criados por meio de ato datado de 23 de dezembro de 2004.

– Não me lembro dessa reunião.

Lembro da minha presença aqui até o dia 24.

Mas consta aqui meu nome e assinatura, o que é comum.

Somos abordados aqui no Plenário para assinar atos e a gente, na boa fé, assina – explicou.

Em aparte, o senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) solidarizou-se com Sérgio Zambiasi, lembrando que ele também foi acusado injustamente pela imprensa de ter sido beneficiado pelos atos secretos.

Já o senador José Nery (PSOL-PA) pediu o apoio dos seus pares para a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) destinada a apurar as irregularidades que estariam ocorrendo no Senado, de acordo com o que vem sendo publicado pela imprensa.

fonte: Agência Senado