Sérgio Zambiasi pede atuação do Congresso no combate ao crack no Brasil

PTB Notícias 14/04/2009, 22:06


O senador Sérgio Zambiasi (PTB-RS), em discurso nesta terça-feira (14), conclamou o Congresso Nacional, e em especial o Senado, a discutir a questão do uso de crack no Brasil, afirmando que o problema merece a atenção do Legislativo.

Só em Porto Alegre, informou o senador, são 30 mil dependentes da droga.

Ele mencionou fato ocorrido no Rio Grande do Sul, no domingo de Páscoa, quando uma mãe de 60 anos atirou no filho viciado, que a ameaçava por não conseguir obter dinheiro para adquirir a droga.

O jovem, que morreu aos 25 anos, era viciado desde os 16 anos e a família já havia tentado interná-lo para desintoxicação por seis vezes, sem sucesso.

As agressões à mãe e ao pai, de 75 anos, eram constantes.

– A tragédia representa um marco da epidemia do crack.

Em Porto Alegre? Não, no Brasil – disse o senador.

Zambiasi mencionou reportagem publicada pelo jornal Zero-Hora em julho de 2008, mostrando o crescimento do uso da droga no estado e ensinando os pais a identificar sinais de que seu filho está envolvido com drogas, como a queda do rendimento escolar, o emagrecimento rápido e a agressividade.

Segundo um médico especialista em tratamento de dependentes químicos contatado pelo senador, o índice de recuperação de viciados em crack é zero, e eles representam a esmagadora maioria dos internados.

Em aparte, o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) afirmou ser a dependência química um caso de “saúde pública”.

Leomar Quintanilha (PMDB-TO) registrou a “pouca eficácia das políticas públicas adotadas até hoje” no combate ao consumo de drogas.

Magno Malta (PR-ES) lembrou que em 90 dias o crack provoca no sistema nervoso central os danos que a cocaína leva oito anos para causar.

Ele citou a necessidade de “recobrar os valores da família” e criticou a cartilha do Ministério da Saúde que pretende instituir uma política de “menos danos”, mas mostra como o usuário deve se drogar “corretamente” e que, em sua opinião, induz ao uso.

* Fonte: Agência Senado