Sérgio Zambiasi relata drama do pai que entregou filho à polícia

PTB Notícias 3/11/2009, 9:51


O senador Sérgio Zambiasi (PTB-RS) leu na última sexta-feira (30) a carta do produtor cultural Luiz Fernando Proa, pai do jovem viciado em drogas que assassinou Bárbara Calazans, estrangulada há uma semana no Rio de Janeiro.

Zambiasi considerou importante divulgar a carta a fim de que a população brasileira se conscientize da gravidade do consumo das drogas legais e ilegais.

O parlamentar disse que o caso ganhou repercussão pelo fato de o pai ter entregado o próprio filho, Bruno de Melo, de 26 anos, à polícia.

Na carta, Zambiasi diz que existe um alarmante relato do drama vivido pela família há seis anos, desde que o filho se viciou em álcool, uma droga legal, até chegar ao crack.

O parlamentar alertou para o fato de a droga não estar mais restrita a grandes centros urbanos.

– O fato é que o problema já se alastrou pelo Brasil, não é mais um problema localizado nas grandes metrópoles, mas uma realidade cruel até no interior do país.

Diante disso, o Congresso, sensível aos apelos e dramas da sociedade, tem se posicionado na luta, dando a sua contribuição com o que faz de melhor: leis.

Em seu discurso, Zambiasi celebrou a aprovação pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS) de projeto (PLS 187/09) de sua autoria destinado a aumentar até o dobro a pena para quem praticar o tráfico de crack que, em sua opinião, é a droga que atualmente mais danos causa à saúde do dependente.

O projeto ainda vai à análise da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

– É preciso, sim, endurecer a pena para o traficante que comercializa essa droga maldita.

Não há como não diferenciar na hora de punir o tráfico desta droga, pois ela é diferente de tudo que já se viu por ser a mais perniciosa, a mais virulenta e com imensa capacidade de destruir um ser humano muito mais rapidamente do qualquer outro entorpecente.

Chega a ser covarde a luta dos dependentes contra um inimigo desse porte – frisou.

Agência Trabalhista de Notícia com informações da Agência Senado