Silvio Costa Filho critica abandono de Hospital Veterinário do Recife

PTB Notícias 24/02/2016, 8:16


Propaganda do prefeito Geraldo Júlio, o Hospital Veterinário do Recife (PE) entra no último ano da gestão do PSB como um terreno abandonado.

A denúncia foi feita pelo deputado estadual Silvio Costa Filho (PTB-PE), que deve concorrer a prefeito do Recife neste ano.

Orçado em cerca de R$ 4 milhões, a unidade seria a primeira do gênero gerida por uma administração municipal no Nordeste.

O terreno, localizado no bairro do Cordeiro, está abandonado há mais de um ano, acumulando lixo, entulhos e poças d”água, trazendo risco de doenças para a população, sobretudo num momento de epidemia de doenças como dengue, zika e chicungunha.

Segundo relatos dos moradores da localidade, a área virou um verdadeiro criadouro de mosquitos.

Para Silvio Costa Filho, que visitou o terreno onde o hospital deveria estar em construção, a obra não iniciada é um retrato de uma administração movida pelo marketing, mas carente de planejamento e de recursos para tirar os projetos do papel.

“A Prefeitura afirma que depende da liberação de recursos do Banco Mundial para construir o hospital, por causa do comprometimento da receita própria.

No entanto, a mesma Prefeitura que nega R$ 4 milhões para a construção do Hospital Veterinário tem recursos de sobra para manter 22 secretarias e aumentar os gastos com servidores não concursados em 65%”, comparou.

HVR6Morador do bairro, o microempresário Ricardo Araújo revela estar descrente em relação à obra.

“Já prometeram muita coisa para esse terreno e nada saiu do papel.

Se nem coisas mais urgentes, como o Hospital da Mulher e o Compaz estão saindo do papel, o que dizer de um hospital veterinário.

Enquanto isso, continuamos sem opção de lazer e com os jovens da comunidade expostos às drogas”, relatou.

O deputado avalia que a gestão do PSB à frente da Prefeitura do Recife sofre com a falta de planejamento e de prioridades.

“O modelo de gestão da Prefeitura e do Governo é o mesmo, com uma extrema carência de planejamento.

Acreditamos que o gestor público deve eleger prioridades e priorizar a aplicação de recursos públicos na prestação de serviços à população.

Reduzir o número de secretarias, de terceirizados e de gastos com publicidade são um bom caminho para garantir recursos para melhorar a cidade”, defendeu.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do Blog de Jamildo Foto: Divulgação/Assessoria