Talles Barreto entrega relatório final da CPI da construtora Delta em GO

PTB Notícias 21/03/2013, 6:34


O deputado Talles Barreto (PTB) entregou, na quarta-feira (20/3/2013), à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Goiás o relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigou a atuação da construtora Delta em Goiás e as relações do empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, com políticos do estado.

Talles, que foi o relator da CPI, afirmou que enviou requerimentos ao Ministério Público de Goiás (MP-GO), à Secretaria de Segurança Pública e Câmaras Municipais para que sejam tomadas providências sobre supostas irregularidades constatadas nas investigações realizadas pela Comissão.

A CPI foi instaurada em maio do ano passado com prazo inicial de encerramento de 60 dias.

Ela foi prorrogada devido aos embates políticos e jurídicos e seus trabalhos foram encerrados em 5 de março.

Em fevereiro deste ano, Talles apresentou o relatório das investigações em um documento de 217 páginas.

Segundo a conclusão, ao total, 0,4% dos contratos da Delta foram estabelecidos em Goiás e, a maioria deles, com as prefeituras de Goiânia, Aparecida de Goiânia, Anápolis e Catalão.

A CPI, porém, foi impedida pela Justiça de investigar esses acordos.

O relatório sugeria ainda que delegados, policiais civis, militares e servidores públicos fossem investigados por corrupção ativa e passiva.

O documento, porém, isenta qualquer participação do governo estadual, do Departamento de Trânsito de Goiás (Detran) e da Agência Goiana de Transporte e Obras (Agetop) nas práticas de corrupção.

Dias depois, a oposição apresentou um documento paralelo visando substituir o relatório elaborado por Talles Barreto.

O objetivo seria corrigir supostas inconsistências, falhas e omissões contidas no relatório final da CPI.

Neste documento, os deputados Daniel Vilela (PMDB) e Mauro Rubem (PT) pediam o indiciamento de pessoas ligadas ao governo estadual.

Em 5 de março, os trabalhos da Comissão foram encerrados e o relatório da oposição foi rejeitada em votação entre os deputados presentes.

Na ocasião, um voto em separado do deputado Túlio Isac (PSDB) foi aprovado pedindo que a Prefeitura de Goiânia também fosse investigada.

No mesmo dia, foi aprovada pelos deputados uma sugestão do presidente da Comissão, Helio de Sousa (DEM), pedindo que os materiais sigilosos colhidos pela CPI.

* Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do Portal da Assembleia Legislativa de Goiás