Telmário Mota entrega pleitos de Roraima para novo governo

Agência Trabalhista de Notícias 20/12/2018, 7:05


Imagem Crédito: Rafael Carvalho/Governo de Transição

Mesmo com o ano legislativo praticamente chegando ao fim, o senador Telmário Mota (PTB-RR) mantém a agenda de trabalho intensa, a favor do Estado de Roraima.

Além dos trabalhos no Senado Federal, onde tem participação efetiva, Telmário tem conversado com futuros ministros e com o vice-presidente eleito, general Hamilton Mourão, para que o novo governo tome conhecimento dos principais entraves de Roraima, que impedem seu desenvolvimento, e que levaram o Estado ao caos político, financeiro e social.

Para o senador, a intervenção federal integral, prevista na Constituição Federal, foi uma medida drástica, mas necessária, diante da anormalidade institucional gravíssima que vive o Estado, resultado da corrupção endêmica dos últimos governantes.

Justamente para auxiliar nesse processo de reconstrução do Estado, Telmário Mota vem discutindo com o novo governo pautas urgentes e necessárias para a retomada do desenvolvimento de Roraima.

São pleitos documentados para que também cheguem ao conhecimento do presidente eleito, Jair Bolsonaro, como, por exemplo, a questão migratória, o endividamento do Estado, a questão energética, segurança pública, e as questões fundiária e indígena.

“É preciso urgência para resolver a questão energética. Roraima é o único Estado da Federação que não é ligado ao Sistema Interligado Nacional. A energia elétrica que recebemos é fornecida pela Venezuela e de péssima qualidade. Além da obra do Linhão do Tucuruí, Roraima também necessita investir em fontes renováveis de energia, como eólica e solar, por exemplo, que teriam bom resultado devido ao clima do nosso Estado. Precisamos também repactuar a dívida de Roraima, aos moldes do que foi feito com o Rio de Janeiro. A proposta é que o empréstimo de R$ 2 bilhões que o governo deve atualmente tenham maior prazo para pagamento. Defendo ainda a exploração mineral sustentável, com a participação ativa nas decisões dos indígenas que já vivem na região”, destacou o senador, entre outras reivindicações.

Outra questão importante que o senador levou ao futuro governo é a transferência das terras da União para o Estado, para permitir a titulação de propriedades. A titulação representa a verdadeira posse e propriedade dos imóveis rurais situados na região de fronteira, beneficiando principalmente os agricultores familiares, que a partir da titulação terão segurança jurídica. Também foram destacadas as questões de infraestrutura, saúde, segurança e agricultura.

“Roraima mora em meu coração e o bem-estar do Estado está acima de qualquer convicção política e pessoal minha. Então, é claro que, independentemente do governo que está no poder, vou tentar que a população que eu represento seja ouvida e agraciada”, justificou Telmário, que em quatro anos de mandato indicou quase R$ 140 milhões em emendas para os municípios roraimenses, principalmente nas áreas de saúde, segurança pública e desenvolvimento rural.

Além do vice-presidente eleito, general Mourão, Telmário teve audiências com os futuros ministros da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, das Mulheres, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, e da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

Com informações da assessoria do senador Telmário Mota (PTB-RR)