Teresina lança projeto em defesa de crianças vítimas de violência sexual

PTB Notícias 25/02/2011, 6:59


A Prefeitura de Teresina (PI), administrada por Elmano Férrer (PTB), lanç hoje, 25/02, o projeto Bem-me-quer.

Tendo como objetivo o enfrentamento aos problemas das crianças vítimas de violência sexual, o projeto será lançado às 9h no auditório da Secretária Municipal do Trabalho, Cidadania e Assistência Social (SEMTCAS).

Na oportunidade será discutido e divulgado para a sociedade os conselhos de assistência social, educacional, de saúde, além dos conselhos tutelares os objetivos dos conselhos e as ações a serem tomadas pelos meios responsáveis pela implementação do programa.

O projeto Bem-me-quer é um programa desenvolvido pelo Governo Federal, implementado pela Semtcas, que busca fortalecer o atendimento de crianças e adolescentes vítimas de violência sexual.

Outro objetivo do projeto é promover uma capacitação para os profissionais gestores da rede de enfrentamento a violência sexual contra crianças e adolescentes de Teresina.

A chefe da Divisão de Proteção Social Especial de Média Complexidade da SEMTCAS, Adelina Meneses, afirma que a capacitação terá carga horária de 40h, com conteúdo de formação geral e oficinas temáticas.

“A capacitação será ministrada por instituição de ensino superior, sendo potencializadas as atuações em projetos de enfrentamento da violência sexual, sendo também enfatizados os órgãos de garantia de direitos e do sistema de justiça e segurança”, afirma Adelina .

A secretária da SEMTCAS, Graça Amorim (PTB), explica que o diagnóstico dos programas e serviços para construção do plano operacional será efetivado de acordo com as diretrizes do Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH) e contará com uma equipe técnica competente: “A construção do plano para enfrentamento será executado pela Gerência de Proteção Especial da SEMTCAS, com capacidade técnica composta por assistentes sociais, psicólogas, pedagogas e advogadas com experiência, e muitas com especialização na área de violência sexual de crianças e adolescentes”, finaliza a secretária.

Agência Trabalhista de Notícias (LL) com informações do Portal 180 Graus