TO: Deputado Mauro Carlesse requer convênio para instalar piso tátil

PTB Notícias 12/10/2015, 7:21


As cidades de Palmas e Gurupi (TO), nas avenidas JK e Goiás, respectivamente, podem receber piso tátil para auxiliar na locomoção dos deficientes visuais.

A proposta de convênio entre o Estado e os municípios foi aprovada pela Assembleia Legislativa do Tocantins.

O requerimento é do deputado Mauro Carlesse (PTB-TO).

Piso tátil são faixas em alto-relevo fixadas no chão.

Esses pisos auxiliam na caminhada das pessoas, sejam elas deficientes visuais, crianças, idosos e até mesmo turistas.

Como revestimento de chão, os pisos táteis não funcionam sozinhos, e sim com uma composição de peças que caracterizam uma caminhada segura e com autonomia.

Há um formato (desenho) universal deste produto, para lembrar que seu significado deve ser evidente e de fácil reconhecimento por quem precisa se utilizá-lo por algum motivo.

No caso dos deficientes visuais, deve-se evitar guiá-los a áreas sem saída ou que possam oferecer perigo.

Todo obstáculo deve estar devidamente sinalizado com o piso tátil de alerta.

São áreas como portas de elevadores, escritórios e banheiros, escadas, catracas, entre outros.

Origem Os pisos táteis tiveram seu início no Japão, nas plataformas de trens e metrôs a fim de indicar aos passageiros o limite de chegada na beira da plataforma, evitando, assim, acidentes.

A ideia proliferou na Europa e cada país teve sua pesquisa desenvolvendo normas e manuais de aplicação do produto.

No Brasil, os pisos táteis já existem há algum tempo.

A norma técnica NBR 9050 apresenta estes produtos desde o ano de 2004, porém seu conhecimento é relativamente novo, com a ignorância da grande maioria das cidades.

“Pensei em sairmos na frente, pois podemos evitar o caos em que se transformaram os grandes centros urbanos, onde os pedestres em situação especial quase não recebem a atenção do poder público”, disse o deputado Carlesse.

A regulamentação da obrigatoriedade do piso tátil normalmente é feita no município e de forma independente.

O requerimento de Carlesse foi aprovado na última quinta-feira (08/10/2015) e agora segue para a análise do Governo do Estado.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da assessoria do deputado Mauro Carlesse (PTB-TO)Foto: Ascom/Carlesse