TSE cancela mais de 550 mil títulos de eleitor em todo o país

PTB Notícias 5/05/2009, 15:30


O Tribunal Superior Eleitoral anunciou nesta terça-feira (05/05) o cancelamento de 551.

456 títulos de eleitor em todo o país.

Tiveram os documentos cancelados, aqueles que não votaram e não justificaram a ausência nas três últimas eleições – cada turno é considerado uma eleição.

Segundo o TSE, o cancelamento corresponde a 0,43% do eleitorado, que somam 128.

808.

358 pessoas.

O estado com maior número de cancelamentos foi São Paulo, local em que 145.

494 pessoas tiveram seus títulos cancelados.

Em Roraima, houve o menor número de cancelamentos: 1.

608 eleitores – confira tabela abaixo sobre cada estado.

ESTADO ELEITORADO TÍTULOS CANCELADOS Acre443.

1482.

319Alagoas1.

976.

8366.

959Amazonas1.

907.

84213.

992Amapá384.

8253.

933Bahia9.

153.

62935.

786Ceará5.

631.

55517.

825Espírito Santo2.

441.

06911.

886Goiás3.

873.

53624.

177Maranhão4.

159.

51920.

352Minas Gerais14.

072.

28550.

230Mato Grosso do Sul1.

618.

3838.

705Mato Grosso1.

993.

13014.

438Pará4.

515.

59024.

455Paraíba2.

655.

3696.

518Pernambuco6.

067.

58915.

836 Piauí2.

186.

3835.

989Paraná7.

299.

99931.

063Rio de Janeiro11.

259.

33457.

488Rio de Grande do Norte2.

172.

6295.

072Rondônia1.

028.

6246.

895Roraima247.

7901.

608Rio Grande do Sul7.

925.

45919.

403Santa Catarina4.

354.

19513.

247Sergipe1.

369.

6394.

064São Paulo29.

143.

285145.

494Tocantins926.

7163.

722TOTAL 128.

808.

358 551.

456 A Justiça Eleitoral havia identificado 582.

828 votantes em situação irregular antes do fim do prazo.

Segundo o TSE, apenas 31.

372 regularizaram o título no prazo, que terminou em 16 de abril.

Agora, para regularizar o documento é preciso comparecer a um cartório eleitoral.

A multa, segundo o TSE, é de pouco mais de R$ 3 por turno ausente.

Quem teve o título cancelado não pode se inscrever em concurso público, receber salário no setor público, tirar passaporte ou carteira de identidade, nem obter empréstimo em instituição mantida pelo governo.

Fonte: G1