TSE realiza Segundo Simulado para testar sistemas eleitorais

PTB Notícias 7/09/2014, 21:19


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vai realizar, de 5 a 13 de setembro, o segundo e último simulado para verificar as funcionalidades dos componentes dos sistemas eleitorais (softwares e hardwares) antes das eleições de 5 de outubro.

O segundo simulado ocorrerá em todas as zonas eleitorais do país, com a participação dos 27 Tribunais Regionais Eleitorais (TREs).

Durante o simulado, equipes técnicas do TSE, tanto a de desenvolvimento quanto a de suporte e infraestrutura, farão o monitoramento dos testes a partir de Brasília.

“O segundo simulado visa fazer um grande ensaio geral para as eleições.

Serão testados os sistemas de preparação da eleição, de geração de mídia, a urna eletrônica e os sistemas de totalização e divulgação de resultados”, informa José de Melo Cruz, coordenador de Sistemas Eleitorais da Secretaria de Tecnologia da Informação (STI) do TSE.

O coordenador destaca que esse segundo simulado é de vital importância para as eleições, porque “é um ensaio geral, no qual todas as pessoas que participam das eleições estarão envolvidas”.

“Nele vão ser testados os sistemas e os processos que essas pessoas terão que executar”, lembra José de Melo.

Testes já ocorridos Assim como o Teste em Campo Regional, de 21 a 25 de julho, e o primeiro simulado de uma eleição completa, ocorrido de 6 a 13 de agosto, o segundo simulado consta do calendário fixado no Plano Geral de Trabalho dos Testes em Campo e Simulados da Justiça Eleitoral (PGT), aprovado pelo Tribunal.

Os testes de 21 a 25 de julho ocorreram no Espírito Santo, Pernambuco e Amazonas, sendo que cada estado abrangeu nove Tribunais Regionais Eleitorais (TREs).

Os testes tiveram, também, a participação de equipes do TSE.

Por sua vez, a Justiça Eleitoral realizou, de 6 a 13 de agosto, em todo o Brasil o primeiro simulado das eleições.

Durante o processo, foram testados pelos TREs, simultaneamente, em todas as zonas eleitorais, todos os hardwares e softwares a serem utilizados nas eleições deste ano.

Avaliação permanenteOs sistemas eleitorais passam por diversos testes durante o ano, seja ano de eleição ou não.

Sempre que uma nova versão de software para determinada parte do sistema eleitoral é desenvolvida pela STI, ela é exaustivamente testada pela Fábrica de Testes (Fates/STI).

Há diversos níveis de teste planejados e executados nos sistemas eleitorais informatizados, com escopos e objetivos distintos.

O conjunto de testes engloba testes unitários, de integração entre os diversos sistemas eleitorais, testes específicos conduzidos na Fates/STI e os conduzidos pelos usuários finais dos sistemas.

Esses últimos são os mais complexos no processo, pois implicam a homologação dos sistemas e, portanto, sua garantia de qualidade, conformidade e eficácia.

Os testes conduzidos pelos usuários finais compreendem Simulados e Testes em Campo.

O desenvolvimento dos sistemas é de total responsabilidade do TSE.

O ciclo de testes é contínuo, sendo reiniciado logo após o fim de uma eleição, visando ao pleito seguinte.

O foco dos testes nos sistemas desloca-se, conforme avança o calendário e o processo eleitoral, para fases específicas como cadastramento de eleitores, candidaturas, carga de urnas, preparação e totalização dos votos, prestação de contas eleitorais, etc.

Fábrica de testesEm 2008, a Secretaria de Tecnologia da Informação criou a Fábrica de Testes (Fates), seção que realiza de forma constante avaliações nos sistemas e tem como atribuição planejar, gerenciar, realizar, analisar e melhorar as atividades de testes de softwares críticos do TSE.

Além da Fábrica de Testes (Fates), a Coordenadoria possui ainda outras quatro seções para desenvolvimento de sistemas e seus componentes.

São elas: Seção de Processamento de Eleições 1 (Sepel 1), Seção de Cadastro de Eleitores (Secad), Seção de Voto Informatizado (Sevin) e Seção de Processamento de Eleições 2 (Sepel 2).