Tupã avalia 2011 como ano da firmação e garante muito trabalho em 2012

PTB Notícias 31/12/2011, 11:13


“Hoje Presidente Prudente (SP) caminha a passos largos, com objetivos traçados e definidos”.

É assim que o prefeito Milton Carlos de Mello “Tupã” (PTB) analisa os resultados obtidos desde 2009, e quando somados as conquistas alcançadas ao longo de 2011.

Pautado no conceito de que o poder público municipal precisa ser dinâmico e ter visão futurista, o chefe maior do Poder Executivo define o atual exercício como o ano da “firmação” e do “rumo” ao progresso.

Afinal, entre 2010 e 2011, foram mais de R$ 150 milhões investidos em canteiros de obras.

Cifra considerada altamente significativa e “importantíssima”, já que compreende quase 50% do orçamento do município.

Também neste ano, detalha o prefeito na entrevista, os prudentinos tiveram a oportunidade de verificar o boom no que diz respeito à mobilização nas mais diversas áreas, entre elas saúde, esporte, infreatrutura urbana, desenvolvimento econômico, tecnologia, assistência social e educação.

Esta última inclusive foi a grande obra de governo, conforme o próprio prefeito faz questão de ressaltar.

Tupã se diz grato ainda à parceria entre a união política que envolveu as esferas federal, estadual e municipal, os poderes Executivo e Legislativo, além de parlamentares que trabalharam incansavelmente na Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), em busca de recursos para Prudente.

Para o próximo ano, o prefeito que governa ao lado do vice Marcos Vinha (PT) prometeu encerrar a gestão 2009/2012 com muito trabalho, visando solidificar de vez o nome e o crescimento da maior cidade da região no cenário local, estadual e nacional.

Confira agora, na íntegra, a entrevista concedida por ele a jornalistas que atuam na Secretaria Municipal de Comunicação:Secretaria Municipal de Comunicação (Secom) – Prefeito, o terceiro ano da sua gestão termina com resultados satisfatórios em todas as pastas municipais, conforme os últimos balanços divulgados pela Secretaria Municipal de Comunicação no portal da Prefeitura.

Em poucas palavras, como o senhor, na posição de chefe do Executivo, definiria 2011?Tupã – O ano da firmação, o ano do rumo de Presidente Prudente.

A solidificação dessa mudança.

Ficou mais do que comprovado que com o espírito de união em torno da nossa cidade com os nossos deputados, colhemos muitos frutos.

Nunca nossa cidade obteve tantos recursos tanto da esfera estadual como da União.

Isso trouxe o quê? Consequentemente trouxe uma melhor sobra de orçamento para que nós pudéssemos então partir para projetos que vislumbrávamos ainda no começo da nossa gestão.

Exemplo claro: saúde, educação, o projeto audacioso de recapeamento.

Então eu analiso como um ano muito bom e que o prudentino se sentiu resgatado.

Um ano onde as pessoas passaram a sentir orgulho em falar da nossa cidade.

Nós não somos mais falados por outras questões, nós somos falados como uma das cidades que mais cresce no nosso Estado.

Secom – Na área de Assistência Social, tivemos avanços na superação da miséria e no desenvolvimento social das famílias.

O senhor pensa que a missão e a meta da pasta, de contribuir com o desenvolvimento social local, através da proteção social, foi bem sucedida no atual exercício?Tupã – Muito bem.

Trabalho muito bem feito pela secretária Regina [Helena Penati Cardoso Ferreira].

Eu vejo a Assistência Social muito atrelada à Educação.

Eu acho que se nós conseguirmos, e nós temos conseguido esses índices de passar uma boa educação para os nossos jovens, nós vamos ter menos questões de miséria dentro da nossa cidade.

Temos procurado mecanismos de construção de unidades habitacionais para as pessoas que precisam.

Avançamos muito, mas ainda temos que procurar melhorar a vulnerabilidade dessas famílias.

Tínhamos no começo da administração índices que indicavam as reclamações dos prudentinos.

O desemprego era praticamente o primeiro citado.

Hoje esse índice caiu muito porque consequentemente houve geração de emprego na nossa cidade.

Quando nós podemos oferecer emprego e qualificação para essas pessoas, nós conseguimos melhorar a questão social.

Secom – Já a Secretaria Municipal de Planejamento comemorou a superação de 30% no número de projetos previstos para a atual gestão.

O senhor também enxerga essa conquista como um grande feito?Tupã – Acredito nisso daí realmente.

Vamos entrar o ano de 2012 com novos projetos que nós não havíamos previsto.

Projetos que nós achávamos que não teríamos condições de fazê-los, e hoje nós já estamos viabilizando estas questões.

Um exemplo: volto a frisar a questão do recapeamento asfáltico, a questão de interligações de bairros, mudanças no aspecto viário da cidade que vamos executar durante 2012.

Então são obras que nós imaginávamos não ter tempo de fazer.

Fizemos e completando na sua totalidade com a reforma de todas as Unidades Básicas de Saúde, a reforma de todas as escolas, a construção de novas creches.

Isso tem dado uma sustentabilidade muito grande para a Prefeitura.

Secom – Na Saúde, a reestruturação da rede e investimentos que superaram o mínimo obrigatório previsto em lei para o setor, mostraram o empenho do município em oferecer um atendimento com mais qualidade e dignidade aos prudentinos.

Isso lhe contenta?Tupã – Muito, muito.

Nós temos percebido essa melhora.

Tem político que fala muito e nunca foi numa Unidade Básica de Saúde.

Eu posso afirmar pra vocês com toda a convicção que eu vou.

Eu vou e ouço.

E ouvia na época que nós entramos muita reclamação.

As pessoas, para se ter uma ideia, não tinham nem água para beber, cadeira para sentar.

Todas nossas unidades não eram interligadas, não existiam computadores [nelas].

Nós revolucionamos toda a estrutura física da rede.

Agora fizemos o concurso público.

Então você vê a satisfação do munícipe em relação à saúde.

Estamos gastando, mas resgatando a dignidade do cidadão prudentino.

Hoje ele vai às nossas unidades básicas e é muito bem atendido.

Além disso, o grande projeto até para 2012, que também é audacioso, é implantarmos definitivamente nos quatro cantos da cidade os Pronto-Atendimentos 24 horas.

Esse é o grande sonho.

Nós já temos no Ana Jacinta e na Cohab.

Queremos implantar nos jardins Santana e Guanabara.

Secom – Assim como na Saúde, levantamento feito pela Seduc revelou que em 2011 foram investidos na Educação mais R$ 63,5 milhões.

O montante equivale a 29,11% do orçamento municipal e vai além do que exige a Emenda 29 da Constituição Federal, que determina que no mínimo 25% sejam investidos na área.

Fora isso, tivemos o Cidadescola com suas diversas ações e oficinas.

O senhor acredita que tudo que estava ao alcance da Prefeitura foi feito em prol tanto dos estudantes matriculados quanto dos profissionais que trabalham na rede?Tupã – Tenho certeza absoluta disso.

Nós fizemos o projeto Cidadescola que não é um projeto meu, é um projeto de uma administração.

Amanhã ou depois vem um outro prefeito, mas não tem como acabar [com ele] porque foi um projeto que deu certo.

Nós tivemos o empenho e dedicação de todos os funcionários da Secretaria Municipal de Educação.

Numa somatória, todos viram que ele pode ser a diferença da nossa cidade.

Nós gastamos acima da cota necessária, mas muito bem gasto.

Eu falo o seguinte: pra mim, na condição de engenheiro, é muito gosto fazer obra.

Agora a grande obra que Presidente Prudente precisa e que nós estamos fazendo e vamos deixar até o final de nosso mandato é a obra da educação.

Essa ninguém tira.

Se nós tivermos uma boa educação, como você [entrevistador] perguntou atrás, teremos menos questões sociais, menos problemas na saúde, menos problemas de infraestrutura, menos desemprego.

Na verdade educação é o carro-chefe dessa administração.

Secom – O Meio Ambiente avançou em ações sustentáveis e trabalhos para concretização do novo aterro.

Foi um ano bom nesse setor?Tupã – Foi.

Se nós imaginássemos como era o lixão de Presidente Prudente, onde famílias em situação de vulnerabilidade social conviviam lá, mais de 100 pessoas pegando alimentos, conseguimos retirá-las e oferecer qualificação e colocação profissional.

Nós também cercamos a área.

Tínhamos ainda uma nota da avaliação da Cetesb [Companhia Ambiental do Estado de São Paulo] baixíssima.

Neste ano já alcançamos uma nota melhor.

Temos agora todo o projeto de encerramento definitivamente do lixão e, consequentemente, a construção da primeira célula do aterro sanitário.

Avanços muito não só nesse sentido, mas também na recuperação do Balneário da Amizade.

São coisas que nunca “foram feitas” dessa maneira, praças arborizadas como agora.

Antes tínhamos praticamente um ou dois pontos onde as pessoas poderiam andar ou aproveitar estes locais para lazer atrelado ao meio ambiente.

Hoje nós temos o Parque Aquático da Cidade da Criança, as oficinas de meio ambiente.

Então o Meio Ambiente vai muito bem.

Secom – A Semav fechou 2011 comemorando investimentos e melhorias no sistema viário de Prudente.

Realmente avançamos nessa área durante este ano?Tupã – Avançamos, melhoramos muito.

Mas como nossa cidade não foi planejada, temos que melhorar alguns aspectos em relação ao sistema viário.

Pela própria economia do País, nós tivemos um aumento muito grande no volume de veículos em circulação.

Consequentemente isso traz problemas para o trânsito.

O que nós podemos solucionar? Como eu te falei, com a criação de novas vias, interferências no sistema.

E também vamos exigir cada vez mais das concessionárias que exploram o serviço de transporte coletivo.

A partir do momento que conseguirmos oferecer um transporte coletivo de qualidade, nós teremos menos volume de carros.

As pessoas precisam se sentir atraídas para andar de ônibus.

É como no metrô, as pessoas precisam se sentir atraídas, se não a pessoa vai pegar seu veículo ou sua moto e vai se dirigir ao centro da cidade sozinha.

Temos que melhorar as regiões estranguladas e estamos trabalhando para isso, inclusive já com projetos em fase de aprovação no Meio Ambiente.

Nós temos a duplicação da ponte do viaduto da Rodovia Alberto Bonfiglioli que nós solicitamos ao governador [Geraldo Alckmin – PSDB], e o projeto audacioso da construção de duas ciclovias, sendo uma prevista para o trecho do Brasil Novo até o Montalvão e outra para do trecho que vai do Lar dos Meninos até o Cobral e Leonor.

Quer dizer: a partir do momento que você começa a fazer esses projetos de mobilidade urbana, consequentemente nós melhoramos o tráfego.

Secom – A Secretaria Municipal de Esportes, por sua vez, encerrou o ano tirando do papel a obra de modernização do Centro Olímpico, pretendida no passado, mas até então nunca viabilizada.

E também é claro comemorando o fato do município ter sediado os Jogos Regionais, quebrando inclusive um jejum de 13 anos e alcançar o lugar mais alto do pódio na competição.

As conquistas nessa área foram além do que o senhor poderia imaginar?Tupã – Foi.

Nós temos o projeto Segundo Tempo, não é! Nós temos o quê? Presidente Prudente sempre foi uma cidade formadora de atletas profissionais e amadores.

O que nós queremos? É isso.

Oferecer espaço para que nossas crianças possam praticar o futebol, a natação, o judô, o ciclismo, a ginástica.

Isso tem dado resultado espetacular.

Você das falas das próprias crianças, do próprio jovem, a oportunidade que eles estão tendo.

Nós estamos desmistificando, vamos assim dizer, levando o esporte a todos os bairros de Presidente Prudente.

Nós fizemos a inauguração agora em 2011 de dois projetos audaciosos, sendo eles a Praça da Juventude do Ana Jacinta [Francisco Vinha] e a Praça da Juventude e Longevidade da Cohab [Lucas Nalini Paschoalin].

Nós vamos ter agora a reforma da Vila Iti, também ali na Avenida Tancredo Neves.

Quer dizer: então nós estamos o quê? Descentralizando.

Levando o professor, levando as atividades esportivas para todos os bairros e para todos distritos de Prudente.

Porque? Porque nós queremos ser formadores de atletas de novo.

A consequência dos Jogos Regionais é isso, um trabalho onde as pessoas se sentiram estimuladas a voltar a praticar o esporte.

Secom – Já na área de tecnologia, tivemos destaque com as inaugurações de laboratórios de informática, além do fato da Setec ter investido mais de R$ 500 mil em Tecnologia da Informação.

Isso significa que praticamente toda a rede municipal está informatizada?Tupã – Olha, eu vou abrir aqui uma exceção e fazer um elogio ao secretário de Tecnologia.

É uma pessoa muito capacitada e que tem uma visão diferenciada.

O Rogério [Marcus Alessi] inovou.

Hoje todo o sistema de saúde, sistema de educação, está tudo interligado.

Não tínhamos nada disso.

Quer dizer: laboratórios de informática, um melhor atendimento aqui dentro da Prefeitura para o munícipe.

As pessoas vinham aqui e demoravam dois, três dias para se atendido ou para pegar uma certidão.

Quer dizer: tudo isso aí em razão de um trabalho que é desenvolvido e muito atrelado entre Tecnologia e Secretaria de Finanças.

Temos instalação de pontos de Internet [sem fio] em pontos isolados do município.

Então nós estamos muito contentes e temos projetos muito audaciosos em relação à Tecnologia.

Secom – Teve também o trabalho muito bonito e importante que é o da Internet gratuita possibilitada nos distritos, não é isso?Tupã – Aqui [em Presidente Prudente] nós sempre tivemos uma discriminação que não deveria ter.

As coisas eram assim: “– ah, vamos fazer primeiro na cidade, depois o que sobrar nós levamos aos distritos”.

Nós fizemos ao contrário.

Nós fizemos primeiro lá e depois aqui.

Os distritos nessa administração são tratados de maneira igualitária a qualquer bairro de Presidente Prudente.

Todos hoje, graças a Deus, possuem sua área de lazer.

Todos possuem seus laboratórios de informática, possuem as suas praças.

Nunca se pensou numa época de final de ano levar uma ornamentação natalina aos distritos.

Nunca.

Este ano está lá.

Quer dizer: nós temos uma participação forte, reforma das Unidades Básicas da Saúde, das escolas, implantação do projeto Segundo Tempo.

Isso daí graças então a um trabalho muito integralizado pela Secretaria de Tecnologia.

Secom – Prefeito, é preciso destacar ainda o bom momento econômico em Prudente com a vinda inclusive de empresas de fora que definitivamente estão acreditando e apostando no município.

Isso é um fator positivo?Tupã – Muito.

Principalmente quando você vai ao aeroporto de Presidente.

Por exemplo: ali, você vê pessoas embarcando e desembarcando, sendo que muitas delas não conhecem o prefeito, não sabe quem o prefeito é.

Mas você ouve eles comentando sobre a nossa cidade.

Isso é um orgulho para qualquer um, para qualquer prudentino.

Como eu disse: nós tivemos um ano bom, novas empresas chegando, as próprias empresas prudentinas se reestruturando.

Qual foi a contrapartida do município? Nós fizemos uma reforma no Calçadão que há mais de trinta anos não passava por reformas.

Nós compramos uma área e vamos instalar um novo distrito industrial.

Temos hoje praticamente 100% de pavimentação asfáltica dentro da nossa cidade.

Então quando você ouve a pessoa, quando ela se dirige à Prefeitura falando como a cidade está bonita, uma cidade limpa, hospitaleira, de um povo bom, é gratificante.

Isso nos contenta muito e eu acho o seguinte: isso é uma maneira de você administrar.

Eu administro sozinho? Não.

Eu não posso deixar aqui de ressaltar o trabalho conjunto que envolve todos os secretários, os funcionários da Prefeitura, os vereadores, os deputados que nos ajudam.

Imagina você se eu tivesse depois da campanha política virado as costas achando que eu não precisaria do Governo do Estado, que não precisaria do Ed [Thomas – PSB], que não precisaria do Bragato [Mauro Bragato – PSDB].

O que seria do nosso governo? Estaria fadado, talvez, ao fracasso.

Talvez nós estaríamos caminhando ainda a passos de tartaruga.

Hoje Presidente Prudente caminha a passos largos, com objetivos traçados e definidos.

A cidade de Presidente Prudente é maior que minhas ambições pessoais.

O político tem que pensar assim.

Eu não posso fazer política e não posso administrar uma cidade de mais de 200 mil habitantes olhando para o meu próprio umbigo, achando que eu sou acima de Deus.

Não.

Quem exerce cargo de prefeito, quem exerce cargo político, quem exerce cargo de secretário, a primeira palavra que tem que vim à boca dele é humildade.

Com isso, o resultado é isso aí que está acontecendo.

Secom – Por fim, o que os munícipes podem esperar do poder público municipal em 2012?Tupã – Muito trabalho, mas muito trabalho.

Nós estamos aí finalizando o ano, a praticamente dois dias do ano novo, com reunião com os secretários para traçar estratégias para o começo de janeiro, já para o dia 3 de janeiro.

Então o que o munícipe prudentino pode acreditar? Num trabalho sério, num trabalho correto.

Nós vamos fazer muitas coisas para solidificarmos de vez o nome e o crescimento de nossa cidade.

Queria também aproveitar o espaço para agradecer a todos que estiveram junto com a Prefeitura, a imprensa prudentina.

Volto a frisar: nossos vereadores, as nossas instituições de caridade, as instituições filantrópicas.

Foi uma união geral e o resultado tem sido muito bom.

Cada vez mais estamos solidificando o nome de Presidente Prudente.

Em 2012 acaba o meu mandato, se Deus me permitir chegar até lá.

Mas a nossa cidade fica, é isso que fica a marca sempre.

Presidente Prudente não é terra, não tem dono.

Quem é dono aqui é o povo prudentino, é o povo que paga seus impostos, é o povo que faz de Prudente uma cidade feliz.

Agência Trabalhista de Notícias (LL) com informações do Portal da Prefeitura de Presidente Prudente