Tupã e Caixa assinam contrato para encerramento do lixão de Prudente

PTB Notícias 11/11/2014, 17:00


O prefeito Milton Carlos de Mello “Tupã” (PTB) assinou com a Caixa Econômica Federal (CEF) o contrato para as obras de encerramento do lixão de Presidente Prudente (SP).

O ato, que ocorreu no Gabinete do Paço Municipal “Florivaldo Leal”, na quinta-feira (6/11/2014), reuniu vereadores, imprensa, funcionários da CEF e demais convidados.

Na composição da mesa, estiveram presentes o gerente regional da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), Luiz Takashi Tanaka, o secretário municipal de Meio Ambiente, Wilson Portella, a superintendente da Caixa Célia Marisa Molinari de Mattos, o procurador da República Luís Roberto Gomes, o vice-prefeito Marcos Vinha e o presidente da Câmara Municipal, vereador Valmir da Silva Pinto (PTB).

O prazo para encerramento do lixão é de 18 meses.

Já a finalização do mesmo até a construção do parque deve demandar até 30 anos.

O projeto apresentado aos presentes na assinatura do contrato para as obras consiste em 12 etapas.

Na primeira, que já teve início, consta a construção do canteiro de obras.

Pela ordem, nas demais, consta ampliação do atual cercamento; arruamento; construção das lagoas e jazidas; reconformação; drenagem dos gases; drenagem do chorume; bombeamento do chorume; drenagem superficial; operação; gramado; e parque com campo de futebol, quadra poliesportiva, entre outros equipamentos.

As obras serão executadas pela Prudenco (Companhia Prudentina de Desenvolvimento).

De acordo com a Caixa, o contrato assinado tem valor de R$ 7.

339.

768,59.

Do montante total, R$ 6.

773.

746,00 são de acordo judicial entre a Companhia Energética de São Paulo (Cesp) e os Ministério Público estadual e federal em ação de compensação ambiental em decorrência da construção da Usina Hidrelétrica Sergio Motta.

Os outros R$ 566.

022,59 são de contrapartida do governo municipal.

Além deste valor, para que o projeto se torne viável a prefeitura executará obras complementares equivalentes a R$ 4.

677.

294,70.

Segundo Célia, a Caixa Econômica consegue enxergar o quanto o encerramento do lixão é importante e relevante para Prudente e região.

“Tivemos um grande aprendizado com o projeto, pois foi o primeiro tratado na incumbência da Caixa.

Para prefeitura não foi diferente.

Perdemos algumas noites de sono, mas conseguimos fazer um projeto de modo com que atende todas as especificações específicas.

Só temos a parabenizar o prefeito e agradecer a participação da Cetesb.

Quando unimos energias, somos insuperáveis”, disse.

O presidente da Câmara parabenizou o MPE e o MPF, além da Caixa e do prefeito Tupã.

Expôs ainda que o local, que hora abriga o lixão de Prudente, ficará irreconhecível pelo montante de obras que será feita.

Já o procurador da República afirmou que o projeto para encerramento do lixão não foi dificultoso e foi escolhido de pronto, “até mesmo pela importância para região, pois Prudente é a cidade-polo dos polos”.

“As dificuldades foram superadas de forma com que estamos assinando o contrato hoje.

O trabalho só está começando, pois o encerramento está atrelado a ao aterro sanitário e a uma coleta seletiva eficiente.

Temos que nos empenhar muito para concretizarmos o sonho desse projeto belíssimo”, ressaltou.

Ao fazer uso da palavra, o prefeito Tupã lembrou que o caso lixão de Prudente sempre foi polêmico e motivo de discussões políticas.

Sobre o encerramento do mesmo, o petebista disse que as maiores lição no planejamento do projeto foram a união e humildade.

“Existia o lixão e a vontade de solucionar o problema, mas primeiro tínhamos que ter o projeto.

Assim houve a boa vontade, a humildade e a união, porque estava em jogo o tabu de um município que é sede da região.

Agora o processo está nas mãos da Prefeitura, cabe a nós corresponder as expectativas da CEF, bem como do MPF e do MPE”, concluiu.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da Prefeitura de Presidente PrudenteFoto: Divulgação/PMPP