Valter Araújo anuncia inclusão de gratificação a agentes de saúde em RO

PTB Notícias 8/10/2011, 8:10


O presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, deputado Valter Araújo (PTB), se reuniu na tarde de quinta-feira (6/10) com agentes comunitários de saúde e agentes de combate as endemias de Porto Velho, quando anunciou a inclusão de uma gratificação às categorias no Orçamento estadual de 2012, numa ação coletiva de todos os deputados.

“O trabalho desses profissionais é muito relevante para a saúde preventiva, para o acompanhamento e o tratamento dos pacientes.

Hoje, a remuneração recebida por eles é muito baixa e vamos encontrar uma fórmula de completar os salários, para todos os agentes do Estado”, destacou Valter.

Os deputados estaduais Hermínio Coelho (PSD) e Maurão de Carvalho (PP), além da vereadora da capital, Ellis Regina (PCdoB) participaram das discussões.

“Infelizmente, o prefeito da capital, Roberto Sobrinho (PT), é covarde e perverso e não se sensibiliza com a situação desses profissionais que fazem um trabalho de muita relevância para a sociedade, especialmente os mais necessitados”, afirmou Hermínio.

Valter Araújo assegurou que a proposta apresentada por ele no encontro com a classe tem o respaldo dos demais deputados e que a Assembleia com a medida, está mais uma vez contribuindo para a consolidação da saúde preventiva, uma das metas da gestão estadual.

“Com os recursos assegurados no Orçamento, o Governo vai poder estabelecer convênios com as prefeituras, repassar os recursos que serão incorporados aos salários dos agentes, como gratificação”, declarou.

A vereadora Ellis contou que hoje são 530 agentes comunitários de saúde e 230 agentes de endemias, na capital.

“Com a chegada das usinas, o trabalho desses profissionais praticamente triplicou.

Tem agentes de saúde cuidando de 700 pessoas, recebendo um salário médio abaixo de R$ 700,00″, informou.

O deputado Maurão lembrou que quando foi prefeito de Ministro Andreazza, complementava os salários dos agentes de saúde com recursos municipais.

“Recebia o repasse do Ministério da Saúde e dava uma gratificação aos agentes de saúde, dos cofres da prefeitura”, completou.

Uma grande preocupação da categoria, além da melhoria salarial é a estabilidade.

É que apesar de concursados, eles são regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e não como estatutários.

“Isso causa muita insegurança e bastaria ao prefeito transpor eles de celetistas para estatutários, operação que foi feita em outras capitais e cidades brasileiras.

Mas, falta sensibilidade a ele”, completou Hermínio.

Os agentes agradeceram aos parlamentares pela mobilização em defesa da categoria e a vereadora Ellis Regina vai encaminhar um documento detalhando a quantidade de agentes de saúde e de endemias no Estado.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do Portal da Assembléia Legislativa de Rondônia